quinta-feira, 22 de junho de 2017

Presidente da Alerj diz que solução para o RJ é intervenção federal ou impeachment do governador

Picciani disse ainda que o governo de Pezão é 'despreparado' e 'incompetente'. O governador disse que não vai se manifestar. 'Não vou comentar a opinião dele, é um presidente de um poder e eu respeito'.

Governador Luiz Fernando Pezão durante sessão em 2015 na Alerj, observado pelo presidente da Casa, Jorge Picciani (Foto: Rafael Wallace / Alerj / Divulgação)

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), deputado Jorge Picciani (PMDB), disse em entrevista à rádio CBN, na manhã desta quinta-feira (22), que a solução para o estado é uma intervenção do governo federal ou o impeachment do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB).

Picciani citou várias medidas de ajuste fiscal aprovadas pela Alerj e criticou a condução que seu colega de partido está dando à crise. “Aprovamos muito mais na Previdência do que eles [governo federal] pediram. 

Aprovamos a [venda da] Cedae [Companhia Estadual de Águas e Esgotos]. Aprovamos em cima dos incentivos fiscais o pagamento de 10% do Fundo de Equilíbrio Fiscal. Aprovamos o aumento do ITB. Aprovamos o aumento do IPVA, o aumento da energia elétrica, da cerveja e do fumo."

Ao apresentador Edmilson Ávila, o governador Luiz Fernando Pezão afirmou, por meio de mensagem, que não vai comentar as declarações de Picciani. "Não vou comentar a opinião dele. É um presidente de um poder, e eu respeito. Estou dedicado a fechar um último ponto que falta para fechar o maior acordo de um ajuste na União, e falta muito pouco", disse a mensagem.

Procurada pelo G1, a assessoria de imprensa do Palácio Guanabara disse que não vai se manifestar a respeito das declarações do presidente da Alerj.

Por volta das 13h, Pezão estava reunido com representantes do Movimento Unificado dos Servidores do Estado (Muspe), mas deixou a reunião sem falar com a imprensa. 

O deputado Edson Albertassi, líder do governo na Alerj, estava presente na reunião, mas também não mencionou a fala de Picciani.

Impeachment

O presidente da Alerj chegou a arquivar oito pedidos de impeachment contra o governador do Rio de Janeiro, no fim de maio, mas, de acordo com ele, a decisão foi tomada porque não havia provas de cometimento de crime de responsabilidade.

“Não havia objeto naquele momento. O crime de responsabilidade está, agora, textualizado em dois documentos. O primeiro na rejeição das contas de 2016 do parecer prévio do TCE-RJ [Tribunal de Contas do Estado] por unanimidade, que aponta indícios de crime de responsabilidade por descumprir dispositivos constitucionais. O outro que eu cito é o não repasse nas datas aos poderes, mas só agora eu tenho isso escrito”, explicou Picciani.

Mais críticas

Segundo o deputado, há a constatação de que o governador se elegeu com um "equívoco", que seria quase uma "fraude eleitoral", por causa do aumento da folha de pagamento em 2014.

“Há uma constatação de uma pessoa que se elegeu, e elegeu pelo meu partido com um apoio de muitos companheiros no estado todo, e da população, mas se elegeu com um equívoco que eu estava na Assembleia e não percebi. Foi aquele aumento, quase que uma fraude eleitoral, dado em 14 [o ano de 2014], onde chegou-se a aumentar a folha de pagamento em 70%, e esqueceu que você tem na Constituição de 88 a isonomia para aposentados e pensionistas. Depois, veio a crise do petróleo, veio a queda da arrecadação e, desde o início, eu alertei ele de que era preciso cortar despesas, era preciso ter austeridade”, disse Picciani.

O presidente da Alerj disse ainda que o governo de Pezão é “despreparado” e "incompetente". Na entrevista, ele afirmou que "no governo do estado falta tudo" e que Pezão estava preparado apenas para governar Barra do Piraí, e não estava preparado para defender o estado dentro da federação brasileira.

“É um governo muito despreparado, começa pelo governador, e avança muito. Fiz um ofício a ele no outro dia solicitando que ele me informasse sobre aquilo que o governador em exercício, [Francisco] Dornelle, foi à Alerj e prometeu auditar os 100 maiores contratos de prestadores de serviço. Nós estamos vendo aí o caos que foi esses últimos anos. O governador quando é incompetente, quando não sabe argumentar, como não tem força política, quem pode ajudar a resolver isso é o presidente da Câmara, o deputado Rodrigo Maia, e a bancada federal”, acrescentou.



Deputados querem volta do extintor de incêndio em carros

Comissão da Câmara dos Deputados aprovou projeto que vai contra decisão de 2015 do Contran, mas para valer ainda precisa passar por outra comissão e ser aprovado no plenário.



A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados aprovou por unanimidade, no final de maio, um projeto de lei que retoma a obrigatoriedade dos extintores de incêndio em veículos no Brasil.

É o primeiro passo para frente do projeto PL 3404/15, do deputado Moses Rodrigues (PPS/CE), que discordou do órgão máximo de trânsito e protocolou, em novembro de 2015, o pedido para reverter a decisão.

O equipamento não é exigido desde 2015, quando o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) afirmou que os carros atuais possuem tecnologia contra incêndio e que o despreparo para o uso poderia causar mais perigo.

"Não é plausível que o Contran, de um momento para outro, entenda que o extintor de incêndio não é mais considerado item de segurança do veículo", afirma o deputado no projeto.
No final de maio, todos os membros da Comissão de Viação e Transportes aprovaram a ideia. 

O relator, deputado Remídio Monai (PR-RR), disse que a regulamentação do Contran "não apresenta justificativa consistente".

Agora o projeto deve passar pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania antes de ir para aprovação no plenário da Câmara.

Atualmente, o equipamento é exigido no país apenas para caminhões, caminhão-trator, micro-ônibus, ônibus e veículos destinados ao transporte de produtos inflamáveis.

O que diz o Contran

Segundo o órgão, a decisão de suspender a obrigatoriedade ocorreu após 90 dias de avaliação técnica e consulta aos setores envolvidos. A conclusão foi que o uso do extintor sem preparo representa mais risco ao motorista do que o incêndio em si.

O Contran ainda citou a baixa incidência de incêndios entre o volume total de acidentes com veículos, e um número menor ainda de pessoas que dizem ter usado o extintor.
A Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA) informou que dos 2 milhões de sinistros em veículos cobertos por seguros, 800 tiveram incêndio como causa. Desse total, apenas 24 informaram que usaram o extintor, equivalente a 3%.

Estudos e pesquisas realizadas pelo Denatran constataram que as inovações tecnológicas introduzidas nos veículos resultaram em maior segurança contra incêndio.

Entre as quais, o corte automático de combustível em caso de colisão, localização do tanque de combustível fora do habitáculo dos passageiros, flamabilidade de materiais e revestimentos, entre outras.



terça-feira, 20 de junho de 2017

Salvar o morrer?? Uma realidade diária no CBMERJ.



Relato em vídeo impressionante feito por um bombeiro militar durante o socorro de combate a incêndio na favela da maré (19/06), ficando ele e toda a guarnição entrincheirados sob forte fogo cruzado.

Não é novidade de que estamos em um momento crítico em se falando de segurança pública e o risco não se faz diferente para os militares do corpo de bombeiros do Rio de Janeiro, quando prestam socorro em certas áreas de risco.

O dilema "SALVAR OU MORRER!" se faz cada dia mais constante. Em alguns casos, a entrada das ambulâncias e carros de socorro em certas localidades são proibidas por malfeitores ou ficam seriamente ameaçadas pela insegurança.   


segunda-feira, 19 de junho de 2017

GOVERNO SE VINGA DE QUEM LUTA POR JUSTIÇA

Bombeiro é preso por 30 dias por exigir cumprimento de lei. 


Em 2016, militares do corpo de saúde dos Bombeiros realizaram um ato em frente ao Palácio Guanabara pedindo a edição de um Decreto que regulamentasse os interstícios alterados pela lei 7.121/15, que a duras lutas aprovaram junto a Alerj.

Além de não cumprimento da Lei, o Governador Luiz Fernando Pezão, mandou punir os envolvidos no ato. A primeira punição foi publicada no boletim do dia 12 desse mês, para início no dia 14. Infringindo a lei, de 72h de antecedência à prisão; o cabo Leilton pegou 30 dias de prisão estando no comportamento ótimo, nem considerou-se que o militar nunca havia sofrida punição, pegou a pena máxima na corporação.

SOS BOMBEIROS: A dinâmica da covardia não se reinventa. O ato aconteceu em setembro de 2016, na ocasião tudo estava bastante inflamado, foi só acalmar os ânimos para que governo/comando aplicasse sua dosimetria abrupta e desmedida, covarde e vil. Repudiamos veementemente tal sanção disciplinar que mais tem caráter de vingança à disciplinador.

Na prática, tais atitudes só faz unir cada vez mais a tropa e motivá-la a lutar por seus direitos e contra as injustiças.

Fique firme Leilton. Sua coragem e garra para lutar tem sido exemplo para muitos.     

Gratuidade e Desconto na visita ao Zoológico do Rio




Bombeiros Militares de todo o estado do Rio de Janeiro a partir do dia (20/06), terão gratuidade e desconto para familiares na visitação deste que é o Jardim Zoológico mais antigo do Brasil.

A notícia foi vinculada no site oficial do Corpo de Bombeiros e surge com grata apreciação no seio da tropa. A visitação ao Zoo do Rio é um dos passeios mais tradicionais e charmosos de nossa cidade e a concessão em muito agrega ao lazer da família do servidor  de nossa amada corporação.

A exemplo da concessão feita pelo AquaRio, o RioZoo dá direito a gratuidade aos profissionais da corporação mediante a apresentação da identidade funcional na bilheteria, aonde também poderão adquirir 3 ingressos com desconto pagando R$ 15,00 (cada). A promoção é válida de terça a sexta-feira dentro do Pacote Experiência que oferece além da visitação ao Jardim, uma série de atrações e atividades extras.


É importante dizer que todas as atividades extras, normalmente são pagas e dentro do pacote promocional o servidor e sua família terá o direito a usufruir sem nenhum preço adicional. São experiências como a visitação a Falcoaria, Alimentação de animais na Fazendinha, passeio de pônei e a Play Zone, veja na área de Ingressos e Horários do Site RioZoo.


sábado, 17 de junho de 2017

Joesley Batista: “Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil

Em entrevista exclusiva a ÉPOCA, o empresário diz que o presidente não tinha “cerimônia” para pedir dinheiro e que Eduardo Cunha cobrava propina em nome de Temer.



Na manhã da quinta-feira (15), o empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, recebeu ÉPOCA para conceder sua primeira entrevista exclusiva desde que fechou a mais pesada delação dos três anos de Lava Jato. 

Em mais de quatro horas de conversa, precedidas de semanas de intensa negociação, Joesley explicou minuciosamente, sempre fazendo referência aos documentos entregues à Procuradoria-Geral da República, como se tornou o maior comprador de políticos do Brasil. Discorreu sobre os motivos que o levaram a gravar o presidente Michel Temer e a se oferecer à PGR para flagrar crimes em andamento contra a Lava Jato. 

Atacou o presidente, a quem acusa, com casos e detalhes inéditos, de liderar “a maior e mais perigosa organização criminosa do Brasil” – e de usar a máquina do governo para retaliá-lo. Contou como o PT de Lula “institucionalizou” a corrupção no Brasil e de que modo o PSDB de Aécio Neves entrou em leilões para comprar partidos nas eleições de 2014. 

O empresário garante estar arrependido dos crimes que cometeu e se defendeu das acusações de que lucrou com a própria delação. 

Leia as 12 páginas da conversa com Joesley na edição que chega às bancas neste sábado (17) . Leia mais.






terça-feira, 13 de junho de 2017

Apartamento pega fogo na Zona Norte do Rio e morador é resgatado pela janela

Foto recebida via Whatsapp

Um apartamento pegou fogo, no fim da madrugada desta terça-feira (13), no Campinho, na Zona Norte do Rio. O fogo tomou conta do apartamento do último andar do prédio.

Imagens enviadas por um morador da vizinhança mostram uma pessoa na varanda do imóvel em chamas pedindo ajuda. Ela foi resgatada pela escada magirus do Corpo de Bombeiros. Não houve feridos no incêndio.

Foram acionados 4 carros do quartel de Campinho e 1 do quartel de Realengo


Fonte:http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/apartamento-pega-fogo-na-zona-norte-do-rio-e-morador-e-resgatado-pela-janela.ghtml

Sérgio Cabral é condenado a 14 anos e dois meses por corrupção e lavagem de dinheiro

Decisão foi publicada no sistema da Justiça nesta terça-feira (13).




O ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, foi condenado pelo juiz Sérgio Moro em uma ação da Lava Jato no Paraná a 14 anos e 2 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A decisão foi publicada no sistema da Justiça Federal por volta das 11h desta terça-feira (13). Veja a íntegra da sentença.

A mulher dele, Adriana Ancelmo, foi absolvida pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por falta de prova suficiente de autoria ou participação. A ré Mônica Carvalho, esposa de Wilson Carvalho, também foi absolvida pelo mesma razão pelo crime de lavagem de dinheiro.

Veja os réus condenados e os respectivos crimes

Sérgio Cabral – ex-governador do Rio de Janeiro: corrupção passiva, 12 crimes de lavagem de dinheiro; 14 anos e 2 meses de prisão

Wilson Carlos Cordeiro de Silva Carvalho - secretário do governo do Rio de Janeiro durante a gestão de Cabral - corrupção passiva e dois crimes de lavagem de dinheiro; dez anos e oito esses de reclusão

Carlos Emanuel de Carvalho Miranda - sócio do ex-governador Sérgio Cabral - corrupção passiva e quatro crimes de lavagem de dinheiro; 12 anos de reclusão
Sérgio Moro também definiu que Cabral terá que pagar 150 dias multa – cada dia multa corresponde a cinco salários mínimos vigentes em maio de 2014. 

“Considerando a dimensão dos crimes e especialmente a capacidade econômica de Sérgio Cabral ilustrada pelo patrimônio declarado de quase R$ 3 milhões e, que considerando o examinado nesta sentença, certamente é maior, fixo o dia multa em cinco salários mínimos vigentes ao tempo do último fato delitivo (05/2014)”, disse o juiz.

O G1 tenta contato com a defesa de Cabral, mas até a última atualização desta reportagem não havia conseguido.

Sentença

Para Moro, os atos de corrupção e de lavagem de dinheiro são um fato “assustador”, além de revelar a prática sistemática de crimes graves de corrupção.

"Os atos de corrupção e lavagem reconhecidos na presente sentença inserem-se em um contexto maior de prática sistemática de infrações penais pelo ex-governador e seus associados e que é ilustrado pelas cerca de nove ações penais contra eles já propostas na Justiça Federal do Rio de Janeiro e igualmente encontra prova neste mesmo feito no sentido de que era cobrado um percentual de vantagem indevida em toda obra pública realizada no Estado do Rio de Janeiro”, afirmou Sérgio Moro.

Rogério Nora e Clóvis Peixoto também foram denunciados pelo MPF e se tornaram réus nesta mesma ação penal pelo crime de corrupção ativa. Entretanto, em janeiro de 2017, o MPF requereu a suspensão do processo em relação aos dois, devido ao acordo de colaboração premiada firmado com eles.

Caso haja recurso, Cabral deve responder preso, de acordo com a sentença de Sérgio Moro.

A denúncia

De acordo com o MPF, Sérgio Cabral, Adriana Ancelmo e outros dois réus – Carlos Miranda e Wilson Carlos – “se valeram do cargo do ex-governador para solicitar e receber vantagem indevida”. 

Este fato, segundo os procuradores, é motivo para aumento de pena para os crimes de corrupção.

Ainda conforme o MPF, o grupo teve envolvimento no pagamento de vantagens indevidas a partir do contrato da Petrobras com o Consórcio Terraplanagem Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), formado pelas empresas Andrade Gutierrez, Odebrecht e Queiroz Galvão. A denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) foi aceita em dezembro do ano passado.

Os procuradores do MPF também destacam que Sérgio Cabral, em conjunto com o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, foi o responsável por organizar as tratativas com os executivos da Andrade Gutierrez para solicitação das propinas e, ainda, delegou a pessoas de sua confiança o acerto quanto ao recebimento das vantagens indevidas.




segunda-feira, 12 de junho de 2017

Servidor: Segurança e Educação receberão salário de maio nesta quarta-feira

E mais de 207 mil funcionários ativos, inativos e pensionistas do Executivo ainda aguardam o crédito dos vencimentos de abril.


Policia vai receber em dia Foto: Pablo Jacob /Jornal Extra

Rio - Os servidores ativos da Secretaria Estadual de Educação, além dos ativos, inativos e pensionistas da Segurança receberão o salário de maio nesta quarta-feira (décimo dia útil). Os créditos foram confirmados pelo governo estadual. E, segundo o Estado, será depositado o valor líquido de R$ 913,7 milhões.


O crédito da Educação é feito quase integralmente com verbas do Fundeb. Os recursos do fundo só podem ser utilizados para pagar funcionários ativos.

"Estamos fazendo a transferência neste momento dos recursos do Fundeb para pagar na quarta-feira. Os recursos que pegam os 84 mil servidores ativos da Educação têm que ter complemento do Tesouro Estadual", declarou o secretário de Educação, Wagner Victer. 

Já os 207 mil servidores de diversas categorias do Executivo aguardam o crédito do salário de abril. São mais de 20 dias de atraso e, segundo fontes do Palácio Guanabara, o calendário pode sair ainda nesta segunda-feira.