quinta-feira, 24 de abril de 2014

STF NEGA HABEAS CORPUS A MARCO PRISCO (BA)

O Superior Tribunal Federal (STF) negou, na noite desta quarta-feira (23), o habeas corpus solicitada pela defesa do vereador de Salvador e líder da greve da Polícia Militar baiana, Marcos Prisco (PSDB), preso desde a última sexta (18). O presidente da Associação de Polciais e Bombeiros e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra) permanece preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.




A liminar que previa o relaxamento de prisão de Prisco, detido desde a última sexta (18) foi indeferida em decisão do ministro do STF Ricardo Lewandowski. "O paciente, líder do movimento paredista em 2012, articulava mais uma vez a deflagração de outra greve, o que poderia ocasionar graves transtornos à população, a exemplo do que ocorreu naquele ano", informou.

O magistrado afirmou ainda que a Costituição veda a greve de policiais militares por representar "grave ameaça ao regime democrático".

"A Constituição Federal vedou expressamente a greve dos policiais militares e foi silente quanto à possibilidade do direito de greve dos policiais civis. Todavia, pela semelhante razão que levou o Constituinte originário a vedar o direito de greve aos policiais militares, a jurisprudência desta Corte tem assentado que essa vedação se estende também aos policiais civis, a partir de uma interpretação sistemática do Texto Magno", destacou Lewandowski


Já o advogado de Prisco, Vivaldo Amaral, afirmou no último sábado (19) não existir motivos para não conceder o relaxamento da prisão.

“Não há nenhum motivo que justifique a manutenção da prisão com o argumento de colocar em risco a ordem pública”, declarou o jurista, em entrevista ao Bocão News.

Ainda conforme o ministro do STF, dois dias de greve da PM, encerrada no último dia 10, foram "alarmantes" e o fim da paralisação não restabeleceu a ordem pública no estado. "Conforme amplamente noticiado na imprensa, os agentes da Força Nacional e das Forças Armadas ainda permanecem na Bahia para a garantia da lei e da ordem, tendo em vista o clima de insegurança ainda presente no estado", relatou.
Fonte: Bocão News

SOS BOMBEIROS: Está muito claro para quem acompanha nosso processo de mobilização em busca da dignidade, que o governo federal está muito preocupado com a possibilidade de uma paralisação nacional no período da copa do mundo. E a arma que utiliza é a intimidação, pegando para exemplo os seus principais ícones, como é o caso do soldado PM Marco Prisco (BA). O momento é delicado mais a força ainda está nas mãos dos integrantes da segurança pública.
Acreditamos que já está na hora dos deputados federais representantes da segurança pública se mobilizarem em defesa deste trabalhador que só deseja viver única e exclusivamente do salário de policial militar, oferecendo uma vida digna aos seus familiares.
Major Fábio, deputado federal (PROS-PB), deu o ponta pé inicial.


MAIS UMA TRAPALHADA MORTAL EM UMA UPP

Desta vez o ocorrido não foi com um anônimo, trata-se de um global, por isso o buraco é mais em baixo. Corre o delegado, corre o secretário de segurança, corre o governador; todos cobrando diante a imprensa celeridade na apuração dos fatos, a final, têm que dar uma resposta sobre mais esta ridícula demonstração de despreparo de nossa polícia pacificada que custou a vida de uma pessoa.




























SOS BOMBEIROS: Má formação e em tempo curto +  falta de logística aos policiais que ficam expostos em áreas de risco nas comunidades "pacificadas" +  preconceito social de que quem mora na favela é bandido + intolerância de ambos os lados + despreparo para mediar crises e conflitos = UPP`S, UM BARRIL DE PÓLVORA

quarta-feira, 23 de abril de 2014

MAIS UMA FERRAMENTA DE FISCALIZAÇÃO POLÍTICA

Você conhece o ranking dos políticos? pois então, é um site que traz informações sobre a vida política de cada parlamentar no Brasil. 

Através dele podemos descobrir que tipo de parlamentar está nos representando nas casas legislativas de nosso país. RANKING DOS POLÍTICOS


terça-feira, 22 de abril de 2014

Incêndios na Zona Sul e no resto do Estado - Quais as diferenças???


Senhores, a ilustração acima, demonstra, a grosso modo, o que poderá acontecer na zona sul desde que entrou em vigor a determinação abaixo:


Isso mesmo senhores, a presente determinação já está valendo nos quárteis da zona sul, confirmado por colegas que trabalham naquelas unidades. Os quartéis, do Humaitá, Copacabana e Gávea, segundo consta nesse documento, deverão avançar, juntos, para qualquer evento de princípio de incêndio que ocorra naquela região, não importando em que área for e qual a sua dimensão.

O tal Plano de Apoio Mútuo, a princípio, parece desconsiderar uma experiência bem sucedida de anos e anos, que consiste na divisão da área operacional procurando proporcionar uma resposta mais rápida para qualquer tipo de evento. A divisão dessa forma é tão racional que é empregada em qualquer lugar do mundo, por qualquer tipo de instituição, por quê no CBMERJ tem que ser diferente?
Temos notícias de que no caso da determinação ser cumprida à risca, poderão ir para o mesmo socorro nada mais nada menos do que aproximadamente 15 viaturas operacionais, entre auto rápidos, viaturas de água, viaturas de salvamento, auto plataformas e ambulâncias. Não importa que seja um grande incêndio ou uma "panela no fogo".
Não fizemos CFO na Academia de Bombeiros, tampouco CAO ou CSC, mas já temos tempo de CBMERJ o suficiente para sabermos que não é todo princípio de incêndio que exige um socorro especializado de bombeiros, na verdade a maioria dos eventos, graças a Deus, não exige que utilizemos muito dos nossos recursos.
Será que existe realmente a necessidade de tamanha mobilização para qualquer tipo de incêndio na zona sul? Será que os colegas desses quárteis estão tão ociosos a ponto de precisarem sair para atender ocorrências nas quais na maioria das vezes não precisarão ser empregados? Será que tal determinação é fruto de um planejamento sério ou será só mais uma daquelas idéias sem pé nem cabeça dos comandantes do CBMERJ como tantas outras das quais temos conhecimento?
Aos militares que trabalham nesses quartéis, gostaríamos que nos informassem sobre o cumprimento dessa determinação e que dessem sua opinião quanto sua real necessidade.
Aos comandantes do CBMERJ, gostaríamos de saber os dados nos quais foram baseados tal planejamento.
Aos oficiais em geral, gostaríamos de saber a opinião dos senhores a respeito disso, principalmente daqueles que tiram comandante de socorro das unidades afetadas, pois serão os senhores que estarão comandando bombeiros cansados e estressados de tanto serem acionados para atenderem ocorrências fora de sua área e que muitas das vezes nem precisarão ser empregados por conta ou da distância ou da dimensão do evento. 
Além de todas as questões levantadas temos muitas outras, porém duas são muito importantes que sejam respondidas, são elas:
Como ficarão as áreas descobertas pelas guarnições deslocadas?
e
Os incêndios que ocorrem na zona sul são diferentes daqueles que acontecem no resto do Estado???
Com a palavra aqueles que puderem dar as respostas.

GREVE DE POLICIAS E BOMBEIROS - RIO GRANDE DO NORTE

Os policiais militares do Rio Grande do Norte entraram em greve por tempo indeterminado às 7h desta terça-feira. A decisão foi tomada após uma assembleia ocorrida na semana passada. Desde o último dia 8, os PMs estão acampados em frente ao prédio da Governadoria, em Natal. 




De acordo com o soldado Roberto Campos, presidente da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Rio Grande do Norte (ACS-PM), cerca de 4 mil pessoas estão concentrados diante da sede do governo estadual. "A expectativa é de uma grande participação de praças vindos também do interior do Estado para somar a esta luta que só têm um motivo, garantir ao cidadão um melhor serviço de segurança pública", disse Campos.

A principal reivindicação da categoria é o plano de carreira para a PM. "Somos o único Estado do Brasil onde não existe lei de promoção de praças. O soldado entra soldado e vai para a reserva soldado", justificou o presidente. Segundo ele, o pedido vem sendo feito desde 2011. "Sabemos que não é um problema que foi criado hoje. Um dia ia estourar. Viemos tentando negociar com o governo do Estado, mas infelizmente as conversas não avançaram", alegou. 

Para o soldado Campos, o movimento da corporação é um grito por dignidade. "Todas as polícias do Brasil passam por sucateamento, mas nós aqui não temos nem sequer a manutenção mínima de viaturas", disse. De acordo com ele, serviços simples como a troca de óleo dos carros não estão sendo feitos há um ano. "As viaturas rodam porque os policiais tiram do bolso, pedem apoio a prefeitos, associações", explicou. "É um estado de falência total. O pouco que funciona, funciona porque os policiais se dispunham a trabalhar. É preciso que o governo do Estado tenha o mínimo de reconhecimento", completou.

Outra reivindicação é o retorno do vale-alimentação, que foi cortado pelo governo desde o início do ano passado, de acordo com a associação. Campos alega que, desde então, os policiais recebem "quentinhas", mas que já houve pelo menos três casos graves de intoxicação alimentar. "Ou elas já chegam estragadas ou estragam devido ao tempo que o policial leva para conseguir parar e se alimentar", justificou. 

Conforme o vice-presidente da ACS-PM, cabo César Cales de Queiroz, cerca de 80% da PM no Estado aderiu à paralisação. Ontem, o grupo ganhou o apoio da associação de oficiais do RN, que também decidiu pela greve. A estimativa é que cerca de 4 mil policiais estejam no acampamento em frente à Governadoria. "Temos algumas faixas no acampamento e a proposta é que se o governo não atender as nossas reivindicações estaremos parados na Copa do Mundo", avisou.  

Na tarde de ontem, as representações de associações de praças da PM-RN se reuniram com o procurador-geral do Estado, Miguel Josino. Eles apresentaram detalhes da pauta de reivindicação e receberam como resposta o compromisso do procurador em formar uma mesa de negociação com a governadora ainda na manhã desta terça.

Governo reunido
Desde o início da manhã desta terça-feira, o comando da Polícia Militar está reunido com representantes do governo do Estado. Entre os participantes do encontro estão o procurador-geral Miguel Josino Neto e o secretário de Segurança Elieser Monteiro. O objetivo é avaliar a pauta da categoria. Somente após as definições é que o governo irá se pronunciar a respeito da greve. 

A SEGURANÇA PÚBLICA NACIONAL A BEIRA DE UM COLAPSO!!!

NOTÍCIAS SOBRE O GUERREIRO MARCO PRISCO

Porta voz da greve da Polícia Militar da Bahia, o vereador de Salvador Marco Prisco (PSDB) foi transferido ontem para uma cela individual no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, para onde foi levado na sexta-feira pela Polícia Federal. Segundo nota da Associação dos Policiais e Bombeiros e de seus Familiares (Aspra), ele estava "desesperado" e "sob risco iminente de morte" por dividir cela com 16 detentos perigosos.



A greve dos PMs da Bahia durou entre os dias 15 e 17. Prisco foi preso no dia seguinte em razão de um mandado da Justiça Federal que atendeu a pedido do Ministério Público Federal (MPF), em ação penal de abril do ano passado, referente à greve dos policiais de 2012. Ontem, até as 20h, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Cármen Lúcia não havia julgado o habeas corpus de Prisco.

De acordo com Fábio Brito, coordenador jurídico da Aspra, entidade presidida por Prisco, ao tomar conhecimento das condições da prisão do líder, dirigentes das associações que participaram da greve policial se reuniram pela manhã, em Salvador, com o objetivo de montar uma força-tarefa em prol da transferência de Prisco para outra cela.

"Nós discutimos o assunto e saímos ligando para todo mundo, para o prefeito de Salvador, ACM Neto, para o presidente da Câmara Municipal, Paulo Câmara, para vários vereadores, deputados, e para a ex-ministra do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Eliana Calmon. Não sei dizer quem foi decisivo neste caso. Esta prisão já é absurda e ilegal, mas ao menos conseguimos a transferência", afirmou Brito. A Vara de Execução Penal da Papuda, porém, disse que o preso está sob custódia da Polícia Federal e não divulgou informações sobre o caso.

Ainda de acordo com a nota da Aspra, a entidade temia que Prisco fosse reconhecido, pelos presos, como um líder de greve da polícia.

Os defensores do vereador estão preocupados também com sua saúde, segundo o mesmo comunicado. "Na Papuda, oferecem aos presos água de torneira e ele teme pela saúde. Vamos solicitar análise médica", afirmou o advogado Dinoemerson Tiago. Prisco sofreria de um problema crônico de estômago e coração e, por isso, deveria seguir uma dieta restrita e "não pode se submeter às refeições do presídio".

Caso o pedido de habeas corpus seja acolhido e Prisco, liberado, a Aspra já prepara uma grande recepção ao líder, com carreata que deverá sair do Aeroporto de Salvador até a sede da associação, no bairro do Bonfim, na cidade baixa, atravessando Salvador.

FORÇA PRISCO, O RIO ESTÁ COM VOCÊ!

SEGURANÇA PÚBLICA NACIONAL EM ALERTA

Análise: Crise da PM na Bahia sai do roteiro e desafia governos petistas

THIAGO GUIMARÃES
COORDENADOR-ADJUNTO DA AGÊNCIA FOLHA






A sucessão dos fatos na atual crise de segurança pública na Bahia mostrou que o cenário ainda está fora do roteiro planejado pelos governos federal e do Estado. Temendo mais greves de PMs em outros Estados às vésperas da Copa, o Planalto entrou em campo logo no primeiro dia de greve, em auxílio ao petista Jaques Wagner.

Com tropas federais nas ruas e a cúpula da segurança nacional em Salvador, veio o acordo com os grevistas na quinta-feira (17), após duas noites de saques, arrastões e explosão de homicídios. O quadro parecia se acalmar quando o vereador tucano e líder da greve Marco Prisco foi preso pela Polícia Federal, numa operação cinematográfica da qual Wagner logo buscou se desvencilhar.

O discurso oficial de que a prisão era por fatos de 2012 não colou entre os praças. A associação de Prisco fazia um jogo duplo: dizia que o recado do líder era para não retomar a paralisação, mas apontava o dedo do PT na prisão.
Resultado: PMs se aquartelaram, e a violência avançou na madrugada de sábado (19).

O comandante da PM, Alfredo Castro, foi buscar interlocução na madrugada com um PM deputado do PSB e com a ex-ministra do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Eliana Calmon (PSB), pré-candidata ao Senado e futura rival do petismo baiano nas eleições de outubro. Ontem, o governo baiano tentava isolar a questão do aquartelamento como um problema da PM. Oficiais ameaçaram demitir grevistas, e PMs voltaram às ruas na tarde de sábado em "operação tartaruga", numa espécie de greve branca.

A crise, grande teste em 2014 para a articulação entre Planalto e Estados diante dos desafios da segurança pública deste ano, continua em aberto e com fios perigosamente desencapados. 

SOS BOMBEIROS: Os policiais Baianos depois de fazerem um acordo com o governo, se indignaram com a prisão de Marco Prisco, se inflamando de novo. É bem claro que ele sofre uma perseguição política, e a estratégia dos governos do PT com apoio do PMDB é a intimidação. Enviar para presídio federal excede em muito, cujo objetivo é mostrar força contra os manifestantes.

Bem sabemos que o ponto nodal da questão remete-se a colocação da PEC 300 em votação no segundo turno, a presidente Dilma utilizou-se da promessa de campanha de que aprovaria um piso nacional para policiais e bombeiros de todo o estado. Sendo que depois de eleita, até hoje articula contra a colocação da proposta em pauta. 

A copa esta chegando, será que o exercito tem homens suficiente para guarnecer todas as ruas do Brasil?

segunda-feira, 21 de abril de 2014

POLICIAIS E BOMBEIROS CAPIXABA REIVINDICAM

Espirito Santo se mobiliza em defesa da dignidade dos policiais e bombeiros daquele estado.


Mais uma vez bombeiros e policiais foram à orla marítima da Praia de Camburi denunciar o descaso com a segurança público feita pelo governador Renato Casagrande. 478 homicídios registrados neste trimestre pelo governo do estado do Espírito Santo. Um aumento de 12,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Apesar de serem números oficiais são irreais pois a Secretaria de Segurança Pública não considera roubo seguido de morte, lesões corporais seguido de morte e encontro de cadáver como homicídio. Um absurdo.

Os nomes das vítimas são omitidos propositadamente para que a população capixaba acredite que estas mortes são todas em decorrência de tráfico de drogas. Uma vergonha o que o governo Casagrande faz com o único objetivo de tentar reduzir índices de criminalidade no papel. Nem desse modo estão conseguindo.

Esse Movimento das Cruzes é organizados por bombeiros, policiais capixabas e familiares das vítimas desses homicídios justamente para denunciar estes fatos e também para denunciar o excesso de trabalho a que são submetidos os trabalhadores da segurança pública por não existir uma política pública de segurança no ES. Trabalham de sol a sol sem qualquer garantia trabalhista. Sem carga horária semanal e com salários irrisórios eles são desprovidos de qualquer outro direito de trabalhador. Bombeiros e policiais eles estão no limite.

As corporações convivem com outra triste marca: já computam três suicídios registrados nos últimos 5 meses e umatentativa de suicídio. Tal marca trágica não acontecia há 10 anos atrás. Não queremos que a próxima vítima seja você. Estamos fazendo a nossa parte. Faça também a sua. Participe e nos ajude com idéias de como podemos alcançar nossos objetivos.







O BRASIL COMEÇA A SE AGITAR!!!

domingo, 20 de abril de 2014

CELEBRE A PÁSCOA COM ENTENDIMENTO

O que é Páscoa Cristã:




Páscoa Cristã é a festividade Cristã mais importante. Páscoa significa passagem e tem origem no termo hebraico Pessach.

O "Domingo de Páscoa" celebra a Ressurreição de Jesus Cristo. A data é comemorada após a primeira lua cheia que ocorre no início da primavera, no hemisfério Norte. A data é sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.

Durante os 40 dias que precedem a Semana Santa e a Páscoa - período conhecido como Quaresma - os cristãos se dedicam à penitência para lembrar os 40 dias passados por Jesus no deserto e os sofrimentos que ele suportou na cruz. A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos, que lembra a entrada de Jesus em Jerusalém - ocasião em que as pessoas cobriam a estrada com folhas da palmeira, para comemorar sua chegada. A Sexta Feira Santa, é o dia em que os cristãos celebram a morte de Jesus na cruz. O Domingo de Páscoa celebra a Ressurreição de Jesus e sua primeira aparição entre seus discípulos.

A Páscoa já era comemorada antes da época de Jesus Cristo. Tratava-se da comemoração do povo judeu por terem sido libertados da escravidão no Egito, que durou cerca de 400 anos.