sábado, 4 de julho de 2015

INVESTIMENTOS PARA PMERJ

Governo do Estado e Ministério público firmaram termo de ajustamento de conduta para investimentos na Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro de 2016 até 2021.



sexta-feira, 3 de julho de 2015

AINDA MAIS SEGURANÇA PARA O BOMBEIRO

PARCERIAS QUE DÃO CERTO SE APRIMORAM CADA VEZ MAIS!



 COMEÇAMOS COM SEGURO DE AUTO, AGORA TODOS OS TIPOS DE SEGUROS ESTÃO DISPONÍVEIS PARA NOSSOS ASSOCIADOS COM O MESMO BENEFICIO DE 15% DE DESCONTO. PEGUE SEU ENCAMINHAMENTO OU FAÇA JÁ SUA CARTEIRINHA.



Contratos de nossa corretora são com as melhores seguradoras do mercado, faça sua pesquisa e compare. cobertura de qualquer oferta em todas as pólices, acompanhamento, facilitação, atendimento personalizado, confira! 
Condições válidas somente para nossos associados. 

Associação S.O.S. Bombeiros
Rua General Sezefredo, 168 
- Realengo Rio de Janeiro-RJ
Telefone: (21)3281-0130
Aberto das 09:00 às 17:00.

CONTANDO OS DIAS PARA SUA SAÍDA



Beltrame já foi pop star no Rio, quando a lavagem cerebral da mídia estava no auge e quase todo mundo acreditava na pacificação. Nessa época, Beltrame vivia na televisão sempre anunciando "vitórias" e "avanços", que não eram nada do que ele dizia, hoje está mais do que provado. A mídia enaltecia Beltrame como um falso herói. Ele chegou a sonhar em ser candidato ao governo do Rio, no lugar de Pezão. Mas há mais de um ano ficou claro e cristalino que a pacificação era "pacificação", uma farsa usada para fins eleitorais. Depois que a blindagem da mídia foi rompida pelo sentimento coletivo, Beltrame desapareceu da televisão. Agora são raras suas aparições. A máscara caiu, os elogios da mídia cessaram e Beltrame desmoronou. Beltrame perdeu completamente o controle da segurança pública e agora quer ir embora. 

Fonte: http://www.blogdogarotinho.com.br/lartigo.aspx?id=19103

quinta-feira, 2 de julho de 2015

2 DE JULHO, DIA DO CORPO DE BOMBEIROS MAIS ANTIGO DO BRASIL

Já se vão 159 anos de existência, missões cumpridas e total entrega à população.  Ano após ano mantendo o alto índice de mais de 90% de aceitação. O respeito, a admiração e o apreço que se recebe dos que são servidos por ele nos faz entender que vale a pena fazer parte deste Corpo de Bombeiros.




A nossa singela homenagem a esta grande instituição e a todos os seus integrantes, verdadeiros heróis da vida real; que juntos formam um forte corpo, refletindo a essência do amor ao próximo, da importância da vida, das ações que nos arrepiam e enchem de orgulho pelo bem que trazem às famílias deste estado.

PARABÉNS AO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

quarta-feira, 1 de julho de 2015

NO PARÁ, TENENTE CEL BOMBEIRO É EXPULSO DA CORPORAÇÃO POR CONDUTA DELITUOSA

Bombeiro é expulso da corporação após cometer série de abusos


Almir Martins estava trabalhava 26 anos no Corpo de Bombeiros.
Ele foi denunciado por uso ilegal de carro oficial e desvio de alimentos da tropa.



Um tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Militar do Pará foi expulso da corporação por decisão unânime das Câmaras Criminais Reunidas, divulgada nesta segunda-feira (29). Segundo a decisão, Almir Antônio Gouveia Martins incorreu em faltas graves e foi considerado indigno de permanecer nos quadros do Corpo de Bombeiros. Almir tinha 26 anos de trabalhos na corporação militar.

Dentre as faltas apontadas estão alterações nas escalas de serviço; retiradas de militares das escalas de serviço para cumprirem escala de guarda na residência de Almir; transporte do filho do ex-oficial em viatura pertencente ao 9º GBM, com desvio de finalidade do bem público; lavagem de carro particular do ex-oficial por voluntário civil do Corpo de Bombeiros no interior do 9º GBM; inclusão do nome de um major CBMPA no SPC/SERASA (Almir deixou débito de consumo de energia na casa onde residia com a família, a qual era cedida pela Prefeitura, ressaltando que as faturas estavam no nome do antigo comandante da unidade – 9º GBM); além de desvio de alimentos do referido Grupamento e preparação de refeições no quartel para os familiares do ex-oficial, o que gerava grande insatisfação na tropa comandada, com escassez de alimentos, falta de gás, realização de coleta entre os bombeiros para complementação de alimentação, e até desvio de comida do quartel para fazer churrasco em proveito próprio.

Em seu relatório e voto, a desembargadora Vera Araújo, relatora do Conselho de Justificação nas Câmaras Criminais, entendeu haver no processo “provas robustas e suficientes a comprovar a conduta delituosa do ora requerido, em total confronto com o Código de Ética da instituição a que pertence e que, na condição de oficial, deveria ainda mais respeitar”.

Fonte: http://g1.globo.com/pa/para/noticia/2015/06/bombeiro-e-expulso-da-corporacao-apos-cometer-serie-de-abusos.html


SOS BOMBEIROS: Esse fato nós trás de volta a lembrança de que a justiça vale para todos. Oficial superior com 26 anos de serviço prestado sendo demitido desta forma é muito lamentável. 
Aqui no Rio de Janeiro se houvesse um pouco mais de lisura e imparcialidade das comissões especiais tanto oficiais quanto praças já teriam seguido o mesmo triste destino 

terça-feira, 30 de junho de 2015

LEI QUE PROÍBE PORTAR ARMA BRANCA ESTÁ EM VIGOR




Em nosso país o que não nos falta são leis. País que se rotula como pátria educadora precisa de leis como a de vagões especial para mulheres nos coletivos, leis para reservar lugares aos deficientes físicos, gestantes e idosos, lei de cotas raciais e agora lei para os que não utilizam de forma correta uma faca.

Esse tipo de lei só nos prova que de pátria educadora temos somente o nome.

segunda-feira, 29 de junho de 2015

ANTEPROJETO DE LEI QUE FOI APRESENTADO AO GOVERNADOR PEZÃO - PARTE III

Dando continuidade, de maneira sequencial, a exposição em trechos da proposta que fora construída a partir das reuniões conjuntas da comissão de segurança pública da ALERJ, mais representantes das corporações (PM E BM) e de classe, para compor o novo código de ética dos militares estaduais.


A exposição para críticas visa a participação de todos que entendem ser importante discutirmos um possível novo regulamento disciplinar.



Capítulo II

Das Transgressões Disciplinares

Seção I

Definição


Art. 17. Transgressões disciplinares são as ofensas concretas aos princípios da ética e aos deveres inerentes às atividades das corporações militares estaduais, objetivamente especificadas neste código, distinguindo-se das infrações penais, consideradas violações dos bens juridicamente tutelados pelos códigos penais – comum ou militar.

§ 1º No concurso de crime e transgressão disciplinar, quando forem da mesma natureza, somente será apurado eventual aspecto disciplinar depois de esgotada a apuração do crime - não sendo devida a instauração de procedimento administrativo-disciplinar para apreciação concomitante do mesmo fato.

§ 2º Existindo, no fato objeto de apuração como crime, circunstância residual que configure transgressão disciplinar, esta somente será apreciada, para efeito de punição disciplinar, após o trânsito em julgado do processo criminal.

§ 3º Ante a presença de crime militar próprio, aqui definido como infração penal prevista, exclusivamente, no Código Penal Militar e passível de ser praticado somente por militares – o fato não será objeto de apuração na esfera administrativa, exceto para a aplicação de exclusão e licenciamento a bem da disciplina ou, ainda, da perda de posto, patente ou graduação.

§ 4º Após o encerramento do processo criminal, tendo sido o militar absolvido em face da acusação da prática tipificada na legislação penal, civil ou militar, não será aplicável qualquer sanção disciplinar, pelo mesmo fato, mediante a imputação de transgressão disciplinar genérica, que não seja clara e especificamente amoldada às condutas previstas no presente diploma e cuja participação do militar não possa ser comprovada, individualizada e detalhada.
§ 5º Não será considerada transgressão disciplinar conduta pela qual tenha sido o militar absolvido judicialmente – independente dos motivos ou causas mencionados na parte expositiva da sentença – devendo ser, portanto, reconhecidos os efeitos de toda e qualquer sentença absolutória. Tal não elide, entretanto, a possibilidade prevista no § 2º deste artigo, referente à apreciação disciplinar de transgressão residual ou independente de fato tipificado como crime e objeto da sentença absolutória.


Seção II

Competência para a Aplicação de Sanções Disciplinares

Art. 18. A competência para aplicar as sanções disciplinares contidas nesta Lei decorre do cargo e não do grau hierárquico, sendo conferida às seguintes autoridades:

I - o Governador do Estado, a todos os Policiais Militares e Bombeiros Militares do Estado do Rio de Janeiro, sujeitos a este código;

II - o Secretário de Estado de Segurança Pública, a todos os Policiais Militares sujeitos a este código;

III – o Secretário de Estado de Defesa Civil, a todos os Bombeiros Militares sujeitos a este código;

IV - os Comandantes-Gerais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, a todos os militares das respectivas corporações, sujeitos a este código, que estiveram sob o seu comando;

V - os Chefes dos Estados-Maiores Gerais e Corregedores das corporações militares estaduais a todos os militares das respectivas corporações sob a sua subordinação, exceto para a aplicação da medida cautelar disciplinar prevista no Art. 43 deste código;

VI – os Subchefes dos Estados-Maiores e os Ajudantes Gerais, aos que estiveram sob suas ordens, exceto para a aplicação da medida cautelar disciplinar prevista no Art. 43 deste código;

VII - os Comandantes Intermediários, os Diretores dos Órgãos de Direção, os Comandantes, Chefes e Diretores de organizações militares, aos que servem sob suas ordens e em organizações militares subordinadas;

VIII - os Subcomandantes de organizações militares, Chefes de Seção, de Serviços e de Assessorias, cujos cargos sejam privativos de oficiais superiores, àqueles que lhes sejam subordinados, exceto para a aplicação da medida cautelar disciplinar prevista no Art. 43 deste Código;

IX - os demais Chefes de Seção, Comandantes de Subunidades Incorporadas e Destacadas, aos militares sob suas ordens, exceto para a aplicação da medida cautelar disciplinar prevista no Art. 43 deste Código.

§ 1º A competência conferida aos Chefes de Seções de Órgãos de Direção é extensiva aos Chefes de Serviços e de Assessorias, limitando-se, contudo, às ocorrências relacionadas com as atividades inerentes ao serviço de suas respectivas repartições.

§ 2º A competência para imposição das sanções aplicáveis a militares inativos, nos casos expressos neste código, será exclusiva das autoridades previstas nos incisos I, II, III e IV deste artigo.

§ 3º Quando a falta tiver sido cometida contra a pessoa do comandante da Organização Militar, será ela apreciada, para efeito de punição, pela autoridade a que estiver subordinado o ofendido.


Atribuições

Art. 19. Todo militar que tiver conhecimento de fato contrário à disciplina, deverá comunicá-lo ao seu superior hierárquico, mediante comunicação (parte), por escrito, no prazo máximo de setenta e duas horas, salvo impedimento justificado.

§ 1° A comunicação (parte) deverá ser formalizada por escrito, de forma clara, concisa e precisa, contendo os dados capazes de identificar as pessoas e coisas envolvidas, o local, a data e a hora da ocorrência e caracterizar as circunstâncias do fato, sem comentários ou opiniões pessoais.

§ 2º Nos casos de participação de ocorrência com militar de Organização Militar diversa, o responsável pela comunicação deverá ser notificado da solução dada no prazo máximo de 20 (vinte) dias úteis. Expirado tal prazo sem que haja comunicação das medidas adotadas, deverá o responsável pela participação comunicar tal abstenção à autoridade a que estiver subordinado.

§ 3° A autoridade a quem a parte disciplinar é dirigida deve dar solução, no prazo máximo de 15 (quinze) dias úteis, cumprindo-lhe apurar os fatos, de acordo com o previsto neste código, salvo por impossibilidade devidamente fundamentada, hipótese em que será admitida a prorrogação desse prazo por até vinte dias úteis.

§ 4º Toda a documentação referente ao fato e sua apuração deverá ser arquivada, podendo ser fornecidas cópias autenticadas a todos os interessados, ressalvadas as restrições previstas em lei.

§ 5º A autoridade que receber a parte, não tendo atribuição para solucioná-la, deverá encaminhá-la imediatamente à autoridade com atribuição para decidir.

Art. 20. No caso de ocorrência disciplinar envolvendo militares de Organizações Militares distintas, caberá ao comandante do escalão ao qual estejam subordinados, apurar ou determinar a apuração dos fatos, após o que será proferida decisão. Caso as organizações tenham subordinações distintas, será competência do Corregedor da corporação determinar o responsável pela apuração dos fatos.

Art. 21. No caso de ocorrência disciplinar envolvendo militares das Forças Armadas ou militares de corporações distintas, as autoridades militares estaduais competentes adotarão as medidas disciplinares referentes aos militares a elas subordinados, informando aos escalões superiores sobre a ocorrência, as medidas decorrentes e o que tiver sido apurado - cabendo ao respectivo Comando-Geral dar ciência do fato ao Comando Militar envolvido.

SOS BOMBEIROS: A nossa participação neste processo é fundamental, por isso cada um de nós temos que ler cada artigo com toda calma e atenção. Trazendo as contribuições pertinentes à construção de um novo diploma que norteará as relações dentro e fora da caserna. 


Utilizem os comentários para apresentarem suas sugestões. Caso não seja o adequado faça por e-mail: SOSBOMBEIROSRJ2@GMAIL.COM 

sexta-feira, 26 de junho de 2015

CONHEÇA OS BENEFÍCIOS CONQUISTADOS PELA ASSOCIAÇÃO SOS BOMBEIRO

Convênios já firmados pela Associação SOS Bombeiros:





PARA MAIORES ESCLARECIMENTOS VOCÊ PODERÁ COMPARECER NA SEDE DA ASSOCIAÇÃO, 
DE SEGUNDA A SEXTA-FEIRA DAS 09:00H AS 17:00

END: RUA GENERAL SEZEFREDO, 168, FUNDOS - REALENGO
PRÓXIMO A PRAÇA DE REALENDO, NA RUA LATERAL DO BANCO ITAÚ
TEL: 3281-0130






AUXÍLIO JURÍDICA


ANDRÉ & RODRIGUES

Telefone: (21)3281-0130





ÓTICA GAIVOTA

RUA MARIA FREITAS, 42, SALA 201, MADUREIRA.

Á ÓTICA GAIVOTA ESTÁ OFERECENDO O DESCONTO DE 20% PARA OS BOMBEIROS.

Para conseguir o desconto entre em contato com o número 32810130.







SEGURO VEICULAR COM 15% DE DESCONTO


Rua da Alfândega, n.º 80 / 5º andar
Centro – Rio de Janeiro – RJ
CEP: 20070-004

Tel.: (21) 3553-8922 / 99420-5397






DESCONTO EM CURSO PREPARATÓRIO












PLANO DE AQUISIÇÃO À MORADIA






SERVIÇO DE VAN EXCLUSIVO PARA MORADORES

TUDO ISSO AO CUSTO DE PRESTAÇÕES QUE CABEM NO SEU BOLSO

A PARTIR DE R$ 744,00 

SOMENTE PARA NOSSOS ASSOCIADOS:
-CONDIÇÕES ESPECIAIS DE FINANCIAMENTO;
-DESCONTO DIFERENCIADO;
-CORRETORA EXCLUSIVA ( COM DISPONIBILIDADE PRA IR AOS LOCAIS, APRESENTAR A ESSE E MUITOS OUTROS EMPREENDIMENTOS).

ENTRE EM CONTATO E AGENDE UMA VISITA. 

Michelle Ferretti 
Vendas - 21 98896-7903 
www.michelleferrettiimoveis.com.br

 Aqui é assim, o bombeiro pede a gente atende!  





PRA RECEBER O TRATAMENTO DIFERENCIADO BASTA APRESENTAÇÃO DA SUA CARTEIRINHA. SE VOCÊ NÃO É ASSOCIADO NÃO PERCA MAIS TEMPO E JUNTE-SE A NÓS, SE VOCÊ JÁ E ASSOCIADO E AINDA NÃO FEZ A SUA CARTEIRINHA ENTRE EM CONTATO CONOSCO.








DESCONTOS NAS UNIVERSIDADES ABAIXO



MANHÃTARDENOITE
Engenharia de ProduçãoR$ 569,00-R$ 669,00
Engenharia CivilR$ 569,00-R$ 669,00
Cândido Mendes - Bangu


MANHÃTARDENOITE
DireitoR$ 526,00R$ 463,00R$ 631,00
Cândido Mendes - Guadalupe


MANHÃTARDENOITE
Serviço SocialR$ 273,00-R$ 315,00
PedagogiaR$ 273,00-R$ 315,00
ContabilidadeR$ 35900-R$ 399,00
AdministraçãoR$ 359,00-R$ 399,00
DireitoR$ 479,00-R$ 569,00
Engenharia de Produção--R$ 669,00
Cândido Mendes -Penha


MANHÃTARDENOITE
HistóriaR$ 273,00R$ 239,00 R$ 315,00
LetrasR$273,00R$ 239,00R$ 315,00
PedagogiaR$ 319,00R$ 269,00R$ 359,00
ContabilidadeR$ 359,00-R$ 399,00
AdministraçãoR$ 359,00-R$ 399,00
DireitoR$ 479,00-R$ 569,00
Engenharia de ProduçãoR$ 569,00-R$ 669,00
Engenharia CivilR$ 569,00-R$ 669,00
Cândido Mendes - Santa Cruz


MANHÃTARDENOITE
AdministraçãoR$ 579,00R$ 669,00
Ciências Contábeis R$ 579,00-R$ 669,00
DireitoR$ 579,00-R$ 669,00
Engenharia de ProduçãoR$ 669,00-R$ 769,00
Engenharia CivilR$ 669,00-R$ 769,00
Cândido Mendes - Campo Grande


MANHÃTARDENOITE
Engenharia de ProduçãoR$ 591,00R$ 463,00 R$ 679,00
Cândido Mendes - Centro



MANHÃTARDENOITE
Educação FísicaR$ 433,00-R$ 433,00
EnfermagemR$ 525,00-R$ 525,00
Administração--R$ 393,00
Ciencias Contabéis--R$ 393,00
Técnico em Processamentos de dados--R$ 393,00
Sistema de InformaçãoR$ 393,00-R$393,00
Gestão AmbientalR$ 393,00-R$ 393,00
TurismoR$ 393,00-R$ 393,00
FIJ - Jacarepagua


Ensino Médio RegularMANHÃTARDENOITE
1º AnoR$ 399,00R$ 399,00
-
2º AnoR$ 399,00--
3º AnoR$ 399,00--
FIJ Ensino Fundamental - Jacarepaguá


MANHÃTARDENOITE
Maternal 1 e 2R$ 299,00R$ 299,00-
Pré-escolar 1 e 2R$299,00R$ 299,00-
Ensino fundamental 1º e 2º anoR$ 359,00--
Ensino fundamental 3º ao 5º anoR$ 399,00--
Ensino fundamental 6º ao 9º anoR$ 499,00--
FIJ Ensino Médio - Jacarepaguá


MANHÃTARDENOITE
GeografiaR$ 319,00R$ 269,00R$ 359,00
HistóriaR$ 319,00R$ 269,00R$ 359,00
LetrasR$ 319,00R$ 269,00R$ 359,00
Licenciatura Comp e InformáticaR$ 319,00-R$ 359,00
Serviço SocialR$ 319,00R$ 269,00R$ 359,00
PedagogiaR$ 319,00R$ 269,00R$ 359,00
ContabilidadeR$ 359,00-R$ 399,00
Gestão EmpresarialR$ 359,00-R$ 399,00
Tec. em Análise e Desenvol. de SistemasR$ 359,00-R$ 399,00
AdministraçãoR$ 359,00-R$ 399,00
DireitoR$ 479,00R$ 399,00R$ 569,00
SIMONSEN - Padre Miguel



Curso Técnico - Ensino MédioMANHÃTARDENOITE
Segurança do trabalhoR$ 319,00--
InformáticaR$ 329,00R$ 229,00-
Petróleo e Gás R$ 329,00--
EnfermagemR$ 339,00R$ 309,00-
Eletrônica-R$ 299,00-
Administração-R$ 299,00-


SIMONSEN COLÉGIO - Padre Miguel

Os valores da parceria CANDIDO MENDES X SIMONSEN são validos para 2014 -I, e deverão ser quitados em seis (06) parcelas semestrais. Para conseguir o desconto entre em contato com o número 32810130.



MANHÃTARDENOITE
AdministraçãoR$ 471,43-R$ 513,43
Arquitetura e UrbanismoR$ 756,00-R$ 756,00
Bacharelado em Biologia--R$ 422,57
Bacharelado em Educação FísicaR$ 470,57R$ 470,57R$ 507,43
Ciência da Computação--R$ 513,43
Ciências ContábeisR$ 472,72-R$ 470,57
Ciências Economicas--R$ 470,57
Comunicação SocialR$ 485,14-R$ 513,43
DireitoR$ 564,86-R$ 564,86
EnfermagemR$ 590,57-R$ 638,57
Engenharia CivilR$ 811,72-R$ 811,72
Engenharia de AlimentosR$ 811,72-R$ 811,72
Engenharia de Petróleo--R$ 655,72
Engenharia de ProduçãoR$ 680,57-R$ 680,57
Engenharia ElétricaR$ 811,72-R$ 811,72
Engenharia MecânicaR$ 811,72-R$ 811,72
FarmáciaR$ 599,14-R$ 650,57
FisioterapiaR$ 564,86-R$ 564,86
Gestão Ambiental--R$ 493,72
Gestão de Recursos Humanos--R$ 445,72
Licenciatura Plena em Ciências Biológicas--R$ 422,57
Licenciatura Plena em Educação FísicaR$ 470,57R$ 470.57R$ 507,53 
Licenciatura Plena em História--R$ 347,14
Licenciatura Plena em Pedagogia--R$ 354,00
NutriçãoR$ 599,14-R$ 650,57
PsicologiaR$ 656,57-R$ 656,57
Serviço Social--R$ 425,14
Superior de Tecnol. em Estética e CosméticaR$ 508,28-R$ 508,28
Superior de Tecnologia em GastronomiaR$ 707,14-R$ 707,14
Superior de Tecnologia em Informática--R$ 493,00
Superior de Tecnologia em Logística--R$ 445,72
Superior de Tecnologia em Marketing--R$ 433,72
Turismo--R$ 398,57
UNISUAM - Bonsucesso

MANHÃTARDENOITE
AdministraçãoR$ 456,86-R$ 491,14
Engenharia CivilR$ 811,72-R$ 811,72
Engenharia de ProduçãoR$ 680,57-R$ 680,57
Engenharia ElétricaR$ 811,72-R$ 811,72
UNISUAM - Bangu


MANHÃTARDENOITE
AdministraçãoR$ 471,43-R$ 513,43
Bacharelado em Educação Física-R$ 427,72R$ 507,43
Ciências ContábeisR$ 427,72-R$ 470,57
Comunicação SocialR$ 485,14-R$ 513,43
DireitoR$ 564,86-R$ 564,86
EnfermagemR$ 590,57-R$ 638,57
Engenharia CivilR$ 811,72-R$ 811,72
Engenharia de ProduçãoR$ 680,57-R$ 680,57
FarmáciaR$ 599,14-R$ 650,57
Licenciatura Plena em Educação Física-R$ 427,72R$ 507,43
Licenciatura Plena em PedagogiaR$ 354,00-R$ 354,00
Superior de Tecnologia em Estética e CosméticaR$ 508,28-R$ 508,28
Superior de Tecnologia em Logística--R$ 445,72
UNISUAM - Campo Grande

MANHÃTARDENOITE
Administração--R$ 491,14
Engenharia Civil--R$ 811,72
Gestão em Recursos Humanos--R$ 445,72
UNISUAM - Jacarepagua


Os valores da parceria com a UNISUAN são validos para 2014 -I, e deverão ser quitados em seis (06) parcelas semestrais.Para conseguir o desconto entre em contato com o número 979309874.


MANHÃTARDENOITE
Administração--R$ 389,62
Análise e Des. de Sistemas--R$ 485,41
Ciência da Computação--R$ 484,41
Ciências Contábeis--R$ 445,28
Pedagogia--R$ 309,00
UniCarioca - Bento Ribeiro


MANHÃTARDENOITE
Administração--R$ 389,62
Análise e Des. de Sistemas--R$ 485,41
Ciência da Computação--R$ 484,41
Ciências Contábeis--R$ 445,28
Gestão de Recursos Humanos--R$ 281,00
Marketing--R$ 454,36
Pedagogia--R$ 321,20
UniCarioca - Jacarepagua


MANHÃTARDENOITE
AdministraçãoR$ 361,45-R$ 401,70
Análise e Des. de SistemasR$ 464,71-R$ 516,46
Ciência da ComputaçãoR$ 464,71-R$ 459,08
Ciências ContábeisR$ 413,08-R$ 459,08
DesignR$ 495,76-R$ 516,46
Engenharia de ComputaçãoR$ 671,71-R$ 723,46
Engenharia de ProduçãoR$ 597,08-R$ 643,08
Gestão de Recursos HumanosR$ 281,20-R$ 281,20
JornalismoR$ 495,76-R$ 516,46
MarketingR$ 464,71-R$ 506,11
PedagogiaR$ 305,10-R$ 321,20
PublicidadeR$ 495,76-R$ 516,46
Rede de ComputadoresR$ 464,71-R$ 506,11
LogísticaR$ 258,18-R$ 258,18
UniCarioca - Rio Comprido


MANHÃTARDENOITE
AdministraçãoR$ 361,45-R$ 401,70
Análise e Des. de SistemasR$ 464,71-R$ 516,46
Ciência da ComputaçãoR$ 464,71-R$ 516,46
Ciências ContábeisR$ 413,08-R$ 459,08
Gestão de Recursos HumanosR$ 281,20-R$ 281,20
JornalismoR$ 495,76-R$ 516,46
MarketingR$ 464,71-R$ 506,11
PedagogiaR$ 305,10-R$ 321,20
PublicidadeR$ 510,27-R$ 516,46
Rede de ComputadoresR$ 464,71-R$ 506,11
UniCarioca - Meier

 Os valores da parceria com a UNICARIOCA são validos para 2014 -I, e deverão ser quitados em seis (06) parcelas semestrais. Para conseguir o desconto entre em contato com o número 32810130.

À DISTÂNCIA
AdministraçãoR$ 208,00
Ciências ContábeisR$ 208,00
Ciências SociaisR$ 208,00
Serviço SocialR$ 208,00
Form. Professor em BiologiaR$ 182,00
Form. Professor em FísicaR$ 182,00
Form. Professor em GeografiaR$ 182,00
Form. Professor em HistóriaR$ 182,00
Form. Professor em MatemáticaR$ 182,00
Form. Professor em PortuguêsR$ 182,00
Form. Professor em QuímicaR$ 182,00
Form. Professor em EspanholR$ 182,00
GeografiaR$ 182,00
HistóriaR$ 182,00
Letras: Português / EspanholR$ 182,00
Letras: Português / InglêsR$ 182,00
Letras: Português / LiteraturaR$ 182,00
Pedagogia (Licenciatura)R$ 182,00
Tecnol. Gestão ComercialR$ 182,00
Tecnol. Gestão Tecn. InformaçãoR$ 182,00
Tecnol. Getão de Recursos HumanosR$ 182,00
Tecnol. MarketingR$ 182,00
Tecnol. Processos EscolaresR$ 182,00
Tecnol. Processos GerenciaisR$ 182,00
Tecnol. em Gestão FinanceiraR$ 182,00
Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de SistemasR$ 182,00
Gestão AmbientalR$ 182,00
Tec. em LogísticaR$ 182,00
FilosofiaR$ 182,00
SecretariadoR$ 182,00
UniFran - Vila Isabel


Os valores da parceria com a UNIFRAN têm validade, e deverão ser quitados em seis (06) parcelas semestrais. Para conseguir o desconto entre em contato com o número 32810130. 
Os cursos a distâncias são ministrados de forma semi-presencial, onde o aluno comparecerá uma vez por mês para realizar as avaliações. O polo no Rio de Janeiro está instalado no Colégio Santos Dumont, situado na Boulevard 28 de Setembro, 156 em Vila Isabel. Telefone: 2234-6766 ou 2204-0529  (Jan).  

* Os valores podem sofrer reajuste de um semestre para o outro.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

OS VELHOS PROBLEMAS DE SEGURANÇA NAS CASAS DE SHOWS

Vistoria revela falhas na segurança de nove salas de teatro e aponta risco para o público


ONG Proteste avaliou 14 itens e constatou problemas graves, como sinalização deficiente e falta de barras antipânico em portas

POR SIMONE CANDIDA




RIO — A segurança de dez teatros do Rio foi avaliada, e o resultado revelou que há falhas que podem prejudicar o programa. O teste foi feito em maio pela ONG Proteste: uma equipe de especialistas em segurança foi assistir a peças em cartaz em estabelecimentos do Centro e das zonas Norte, Sul e Oeste. Durante as visitas, foram avaliados 14 itens. Em nove casas, foram encontrados problemas, os mais preocupantes relativos à sinalização das saídas de emergência, das rotas de fuga e da localização dos extintores de incêndio. Por outro lado, todos foram aprovados na distribuição dos extintores, que também estavam dentro do prazo de validade. Além disso, portas e corredores estavam desobstruídos.

Para Carlos Confort, engenheiro e especialista em segurança da ONG, as vistorias mostraram que há risco para os frequentadores.

— Ficamos impressionados com alguns resultados. Um dos itens que mais tiveram problemas foi o da sinalização da rota de fuga, que só encontramos de forma eficiente em um teatro, o Miguel Falabella. Em vários deles, havia pontos cegos em relação a essa sinalização luminosa. Sete teatros tinham alguma falha — disse.

Foram visitados os teatros Net Rio e Gláucio Gill (ambos em Copacabana), Vannucci, Clara Nunes e dos 4 (os três na Gávea), Fashion Mall (São Conrado), Municipal e Maison de France (Centro), dos Grandes Atores (Barra) e Miguel Falabella (Cachambi). No Net Rio, apontou o teste, a sala principal não tem sinalização da rota de fuga. Além disso, a sinalização luminosa se restringe às saídas normais e de emergência. Uma falha que se repete no Clara Nunes, segundo a avaliação.

A falta de barras antipânico em portas de emergência foi verificada em três teatros: Vannucci, Fashion Mall e Municipal. Na opinião de Confort, esse é um dos itens que deveriam ser priorizados pelos estabelecimentos.

— As portas de emergência devem ficar fechadas, mas precisam ter um mecanismo que permita uma rápida e fácil abertura em caso de necessidade de evacuação da sala. Três teatros foram reprovados no teste porque neles não encontramos as barras nas portas de emergência. No Municipal, são usadas maçanetas nas portas. Na hora do desespero, isso não funciona. Temos, infelizmente, que lembrar a tragédia da boate Kiss, onde essa falha custou vidas — criticou Confort, referindo-se ao incêndio ocorrido em 2013 na casa noturna em Santa Maria (RS), onde 242 pessoas morreram.

FALTA DE AVISOS POR ALTO-FALANTE

Apesar de terem encontrado extintores de incêndio dentro do prazo de validade em todas as casas, as equipes alertam para falhas na disposição e na sinalização desses equipamentos. Há extintores de vários tipos, como os de água e pó químico. É preciso que eles sejam sinalizados corretamente, para não haver confusão na hora do uso. Se alguém emprega um equipamento de água na fiação elétrica, por exemplo, pode levar um choque.

Em sete dos dez teatros, informaram as equipes, não foram dados avisos e alertas por meio de alto-falantes ou vídeos. Essas mensagens são importantes, por informar o público, por exemplo, sobre a proibição de fumar e por indicar onde ficam as saídas de emergência. De acordo com a Proteste, apenas os teatros dos Grandes Atores, Municipal e Maison de France orientaram a plateia, por alto-falantes, sobre os dispositivos de segurança e os procedimentos de evacuação da sala em caso de emergência.

— Não podemos esquecer que, num caso de incêndio, há necessidade de esvaziar a sala rapidamente. É importante que a sinalização luminosa mostre as saídas e sirva de guia. Mas os alertas sonoros dados antes dos espetáculos complementam isso. Se você avisa onde ficam as portas, é um recurso a mais — disse Confort.

Na avaliação da ONG, uma das salas que mais expõem o visitante a perigos é a do Gláucio Gill. Entre todas as visitadas, foi a única com riscos considerados “potencialmente graves de acidentes”. De acordo com o resultado da vistoria, além da “sinalização quase inexistente na parte interna e dos (poucos) extintores sem identificação e obstruídos, a estrutura metálica do segundo andar está corroída e desgastada”. Foi constatado ainda que “a grade de proteção é vazada e oferece riscos tanto para pessoas sentadas na parte superior quanto para as do setor inferior”.

— No segundo andar, existe um parapeito muito baixo, e há risco de queda — alertou Confort.

Ainda segundo o teste, o Clara Nunes foi o único teatro reprovado em outros itens de prevenção de incêndio e pânico, como hidrantes, sensores de fumaça e botão de alarme.

A ONG também vistoriou oito teatros em São Paulo e seis em Salvador. Diante dos problemas encontrados, a instituição enviou na quarta-feira os resultados do seu estudo de segurança para as prefeituras e o Corpo de Bombeiros dessas cidades.

Teste semelhante já havia sido realizado em 2012. Para Confort, ocorreram alguns avanços em relação à situação constatada há três anos. Agora, por exemplo, existem mais salas com avisos de “proibido fumar” e indicando a lotação máxima.

No Rio, o Corpo de Bombeiros informou que vai se reunir com representantes das secretarias municipal e estadual de Cultura, para a criação de uma força-tarefa com o objetivo de verificar se há documentos pendentes em relação aos teatros administrados pelo poder público e pela iniciativa privada. De acordo com a corporação, não foi encontrado, por exemplo, o certificado de aprovação do Gláucio Gill.

A direção do Maison de France garantiu que segue a regulamentação e que todas as saídas de emergência são devidamente indicadas por sinal luminoso. Informou ainda que uma empresa especializada checa, duas vezes por ano, o funcionamento de todos os equipamentos. Afirmou também que tem uma placa com a lotação afixada junto à bilheteria.

O Teatro Fashion Mall informou que todas as portas de saída têm barras antipânico e que a sinalização da sala obedece às regras. Disse ainda que atende às normas legais de segurança e é alvo de vistorias anuais. De acordo com a direção, um novo vídeo com aviso para o público está sendo produzido.

A Secretaria estadual de Cultura, responsável pelo Gláucio Gill e pelo Municipal, informou que a primeira casa recebeu em março a certificação dos bombeiros e “foi plenamente” aprovada. Segundo a secretaria, o projeto aprovado pelos bombeiros para o Municipal “leva em consideração as peculiaridades de sua arquitetura e, portanto, não há obrigatoriedade de instalação de barras antipânico nas portas. Na sala de espetáculos, a maioria dos acessos do público é através de cortinas, e as poucas portas existentes não têm fechaduras”.

O Teatro dos Grandes Atores garantiu que tem “sinalização de saídas de emergência em conformidade com a legislação”. Segundo a direção, o estabelecimento foi recentemente vistoriado pelos bombeiros e recebeu a certificação. A casa nega que não tenha aviso de proibido fumar e diz ter um vídeo informando sobre a saída de emergência.

O Teatro Miguel Falabella informou que, desde março, exibe um vídeo informativo sobre as saídas de emergência antes de todas as apresentações. Com relação à capacidade da casa, uma nova placa foi afixada na bilheteria.

Por nota, os teatros Clara Nunes e dos 4 informaram que cumprem todas as normas de segurança do Corpo de Bombeiros. Disseram ainda ter placas sobre os tipos de extintores existentes nas salas. Sobre a falta de avisos sonoros, afirmaram haver funcionários durante as sessões indicando as saídas de emergência. No entanto, informaram que adotarão as mensagens por alto-falantes.

A direção do Teatro Vannucci negou que haja problemas. Já o Net Rio afirmou que cumpre as exigências previstas em lei, mas vai melhorar a sua sinalização.

Dias depois do incêndio na boate Kiss, que matou 242 pessoas e feriu outras 680, em Santa Maria (RS), O GLOBO revelou que o Rio e Niterói tinham 49 espaços culturais públicos, entre eles 13 teatros, funcionando sem autorização do Corpo de Bombeiros. Na ocasião, em fevereiro de 2013, o governo do estado e a prefeitura do Rio decidiram suspender a programação artística em todos eles por um período de 20 dias. Dois anos após a tragédia, prefeitura e estado garantem que todos os espaços tiveram a situação regularizada. Porém, o Corpo de Bombeiros informou que, de oito teatros do município que constam em seu sistema, quatro estão em processo de autorização.

Dos quatro teatros do estado, os bombeiros não localizaram dados sobre o Gláucio Gill. O restante (Arthur Azevedo, Mário Lago e Armando Gonzaga) está em situação regular.

Conforme mostrou a reportagem, em fevereiro de 2013, o Teatro Carlos Gomes, o maior sob administração da prefeitura, estava com a autorização dos bombeiros vencida desde 2010. Hoje está com a certificação em dia.

Além dos teatros, a reportagem de 2103 mostrou que o Museu da Imagem e do Som, na Praça Quinze, administrado pelo estado, não tinha autorização para funcionar. Os bombeiros informaram na quarta-feira que não encontraram informações sobre o lugar em seu sistema. A Escola de Artes Visuais, no Parque Lage, que também não tinha autorização em 2103, está com seu processo de licenciamento em andamento. A Casa França-Brasil, citada na reportagem, já recebeu o certificado de aprovação

Segundo a Secretaria estadual de Cultura, os espaços fechados para vistoria em 2103 tiveram sua situação regularizada nos bombeiros. Já a Secretaria municipal de Cultura informou que contratou uma firma de prevenção de incêndios que providenciou os certificados de todos os teatros, bibliotecas e centros culturais do município.


PALAVRA DE ESPECIALISTA

A visão de Moacyr Duarte, pesquisador da Coppe/UFRJ e especialista em gerenciamento de risco

“Alguns estabelecimentos têm características históricas, que não podem ser mudadas. No entanto, diferentemente de uma casa de shows, o teatro tem uma característica diferenciada, com uma racionalização do cálculo da capacidade de público. Sendo assim, sem a violação do espaço e com mais controle, não há riscos de extrema gravidade. O mais importante é que haja prevenção. Os teatros devem ser bem inspecionados. A manutenção elétrica e de infraestrutura deve estar sempre em dia.”

Fonte: http://oglobo.globo.com/rio/vistoria-revela-falhas-na-seguranca-de-nove-salas-de-teatro-aponta-risco-para-publico-16548637


SOS BOMBEIROS: De fato este resultado deve representar a realidade de boa parte das edificações de reuniões de público de nossa cidade. Principalmente a dos prédios antigos no centro e zona sul.

Esse problema tem muitos ingredientes, vai desde  a atuação de bombeiros mal caráter e irresponsáveis que aprovam a segurança do estabelecimento conferindo-lhe o certificado de exigências por um bom preço, até os proprietários que após a aprovação, fazem modificações por conta própria visando somente o lucro.

A solução para isso é intensificar as fiscalizações nestas casas (teatros, boates, bares, cafés) antes que problemas graves ocorram e exponha negativamente o nome da corporação.

Infelizmente esse é um mal antigo em nosso meio, a vista grossa por conta de uma pratinha põe em risco a vida alheia. 

Alô comando Geral!!! 
Vamos acabar com a farra nas engenharias e colocar a turma pra fiscalizar. É o nome da Corporação que está sendo achincalhado!!!