domingo, 31 de maio de 2015

DEPENDÊNCIA QUÍMICA É A PRINCIPAL CAUSA DA DESERÇÃO DE BOMBEIROS NO RIO

O assunto abordado pelo jornal Extra deste domingo (31) é real em nosso meio, nos gera muita tristeza e sofrimento. Ele está presente em um dos ítens de nossa pauta de reinvindicações (ítem 27) (pauta de reinvindicação) sob a forma de solicitação ao comando para investir em políticas internas que alcancem este público.


Vejamos a metéria:


Luiz Carlos da Silva, de 55 anos, é bombeiro militar no Rio há 25 e, até dezembro, quando sofreu um AVC, dirigia ambulâncias do Samu. Já trabalhou em quartéis da corporação em Jacarepaguá e no Centro e, ultimamente, socorria pessoas doentes ou acidentadas na Ilha do Governador. 

No último dia 18, na sala de audiências da Auditoria de Justiça Militar, Luiz Carlos afirmou para uma plateia incrédula - formada por um promotor, uma juíza e uma defensora pública: usuário de crack, cocaína e álcool, ele sempre dirigiu ambulâncias “alcoolizado ou depois de ter usado drogas”.

Luiz Carlos é um dos 24 bombeiros da ativa - ele está apenas afastado devido ao problema vascular - que respondem, atualmente, a processos por deserção em decorrência do consumo de drogas ou álcool. Levantamento feito pelo EXTRA a partir de dados da Auditoria Militar revela que a dependência química é o principal motivo que leva os bombeiros a abandonarem o serviço: do total de 47 processos por deserção na corporação em trâmite hoje, 37 são de militares que vivem um drama para se livrar de drogas.

Os bombeiros que respondem a esses processos continuam na corporação, servindo à população. Cinco deles já desertaram mais de uma vez.
"- Já é a quarta vez que deserto. Preciso de ajuda, mas lá no quartel, sempre que tenho problemas com drogas, sou preso e, depois, obrigado a voltar ao serviço. Nunca nenhum comandante me deu apoio para conseguir tratamento - afirmou Luiz Carlos."



As histórias por trás dos processos revelam uma rotina nos quartéis bem diferente da imaginada pela população: cinco bombeiros que desertaram nos últimos dois anos contaram ao EXTRA que o uso de drogas é comum dentro das instalações da corporação.
- Já recebi cocaína na cela do quartel de Botafogo depois de ser punido justamente por usar droga - contou um militar de 45 anos, que trabalha como guarda-vidas.








Há menos de um mês, ele foi absolvido. Na sentença, a juíza Ana Paula Monte Barros determina que, por um ano, o bombeiro deve ser submetido a “tratamento psiquiátrico e psicoterápico”. Ele frequenta três vezes por semana uma clínica estadual.
Críticas de autoridades

Promotores e defensores públicos que atuam na Auditoria de Justiça Militar criticam a forma como o Corpo de Bombeiros trata militares dependentes químicos. Para o promotor Paulo Roberto Mello Cunha Júnior, a corporação erra, em primeiro lugar, ao permitir que bombeiros com problemas com drogas permaneçam em serviço.

- É muito grave quando os responsáveis por comandar a corporação permitem que um bombeiro atenda ao público sob o efeito de drogas.

Já a defensora Claudia Taranto acredita que falta sensibilidade na corporação para combater o problema.
- Esses casos só chegam à Justiça porque não são tratados internamente. Quando um militar tem problema com drogas, é sempre punido. O tratamento fica em segundo lugar. Fica clara a falta de percepção e interesse do Corpo de Bombeiros em cuidar de seus homens. 

O comandante tem que saber o que está acontecendo dentro dos quartéis. Em muitos casos, eles fecham os olhos para o que acontece e tratam pessoas doentes como criminosos. Para a tropa, a mensagem que passam é essa: “Não importa como vocês estejam, mas venham para o quartel” - afirma a defensora.

O Corpo de Bombeiros alegou que “o uso de drogas pelos militares é coibido pela corporação, pois compromete o socorro às emergências atendidas e afeta negativamente a disciplina e a ética do bombeiro militar.

 Quando é verificada alguma ocorrência desse tipo na unidade, são tomadas providências administrativas”. Segundo a corporação, “quando é verificado que o militar está em situação de dependência química, o mesmo é submetido a tratamento médico e social”.
Segundo o Corpo de Bombeiros, no total, há 15.661 militares na ativa.

 A corporação alega que, quando o militar deseja superar a dependência, deve procurar suporte no Centro de Psiquiatria do hospital da corporação e na Diretoria de Assistência Social.

Durante as últimas duas semanas, o EXTRA entrevistou cinco bombeiros da ativa que respondem por deserção e continuam trabalhando: um socorrista, dois motoristas (um de ambulância e outro de rabecão), um guarda-vidas e um combatente de fogo.





Fonte:http://extra.globo.com/noticias/rio/dependencia-quimica-a-principal-causa-da-desercao-de-bombeiros-no-rio-16313256.html


SOS BOMBEIROS: A questão é tão grave e delicada que não cabe aqui gastarmos energia apontando quem é o culpado. Nos parece ser mais útil e eficiente discutirmos medidas que alcançarão os que hoje já se encontram no mar de lama das drogas, e os que estão no curso deste caminho.

O primeiro passo é reconhecermos que a dependência química está presente em nosso meio, sabemos quem são as pessoas, trabalhamos com elas; e tanto nós como o comando fazemos vistas grossas, não queremos nos envolver.

Temos casos dos mais diversos: Os que retratam a narrativa dos bombeiros participantes da matéria; porém temos casos que o comandante da unidade pagou do próprio bolso a pensão alimentícia da filha do bombeiro para que ele não fosse preso. Seu salário tinha sido cortado por estar em deserção. Como já dissemos o problema será melhor resolvido se o vermos como sendo de todos.

É claro que a contribuição dos envolvidos neste processo é de acordo com cada responsabilidade. Recentemente a assessoria jurídica do Vereador Marcio Garcia pode socorrer na defesa de dois bombeiros que estão com as vidas totalmente destruídas pelas drogas, suas carreiras por um fio.
O comando precisa investir pesado em políticas internas para erradicar este mal de nosso meio, estabelecer parcerias com locais especializados que acolhem e tratam deste público. Por outro lado, nós bombeiros, precisamos aprender a zelar mais uns pelos outros. Quantas vezes vemos aquele mal colega convidar o outro já dependente, que está lutando contra o vício, para beber e até mesmo se drogar? e nós não intervimos. Pensamos: não é problema nosso. De fato, você não é o responsável por ele; entretanto somos um corpo, e este companheiro faz parte dele. Se num corpo há alguma parte doente, logo todo o corpo ficará doente; temos que deixar o individualismo de lado e abraçarmos os mais fracos.

As sanções disciplinares citadas na matéria ocorrem por ser uma instituição militar, e se utilizadas com sensibilidade geram um alerta para o camarada se ligar de que ele não está no caminho certo. O problema é quando se utiliza dela sem a menor preocupação com a recuperação do disciplinado. O efeito que a mesma produz é o inverso, empurra para o buraco quem já perdeu o auto controle, e está dominado pelo vício.

Reafirmamos mais uma vez que nossa bandeira tem que ser a de zelarmos uns pelos outros até onde pudermos, a fim de que o corpo ao qual pertencemos viva sadio, forte, nos servindo mutuamente e à sociedade  que pertencemos.

O QUE MAIS PODERIA SER FEITO PARA MELHOR COMBATERMOS ESTE MAL EM NOSSA CORPORAÇÃO???

BOMBEIRO É HORA DE CUIDAR DE VOCÊ

Vacinação Contra a Gripe é prorrogada até o dia 5 de Julho.




No dia 04 de Maio o Ministério da Saúde deu início a campanha anual de vacinação contra o vírus da Influenza. 

Com a chamada "Contra a gripe seu escudo é a vacinação" tendo como o dia "D" escolhido o dia 9 de maio a onde se espera o alcance de 80% da população mais vulnerável as complicações decorrentes da gripe.

Porém devido a baixa adesão e procura de muitos usuários do SUS que fazem parte dos grupos de risco será estendida até 5 de Junho.

Grupos de risco quem são eles?

  • Crianças de até 2 anos
  • Trabalhadores da saúde 
  • Gestantes
  • Idosos
  • Puérperas (45 dias pós - parto)
  • Indígenas 
  • Doentes Crônicos


Quem são os doentes crônicos?

Basicamente, são pessoas que sofrem com obesidade, diabetes, doenças respiratórias, problemas cardíacos ou imunodepressão. Confira a relação completa seguir:


• Doença hepática 

• Doença renal (exemplo: insuficiência renal crônica, principalmente em pacientes com diálise)

• Doença hematológica (hemoglobinopatias)

• Pacientes menores de 18 anos com terapêutica contínua com salicilatos (exemplos: doença reumática auto-imune, doença de Kawasaki)

• Portadores da Síndrome Clínica de Insuficiência Cardíaca

• Obesidade

• Doenças respiratórias crônicas 

• Imunodepressão

Quem perdeu a data indicada para seu grupo populacional ainda pode se vacinar?
Segundo orientação do Ministério da Saúde, é preferível que as pessoas sigam o cronograma de vacinação encerrando se em 05 de Junho.
A solicitação da vacinação após o prazo vai depender da interpretação de cada unidade de saúde – já que o caso será encarado como exceção.
O que acontece com quem pertence ao grupo de risco, mas não pretende tomar a vacina?
Vale lembrar que a vacina não é obrigatória. 

"Quem pertence ao grupo e não vai se vacinar tem mais risco de adquirir a gripe e chegar a um óbito", afirma a infectologista Nancy Bellei, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

O infectologista e professor da Unifesp Eduardo Medeiros salienta que, quanto mais gente for vacinada, menor será a circulação do vírus – o que, como consequência, diminui a incidência da doença.

Quem teve a gripe no ano passado e se encaixa no grupo de risco precisa tomar a vacina?

Sim.

 "Até mesmo as pessoas que acham que tiveram a nova gripe devem tomar a vacina", explica o infectologista Juvêncio Furtado, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia e professor da Faculdade de Medicina do ABC.

 Isso porque nem todos os que ficaram gripados em 2009 têm certeza de que realmente estavam infectados pelo vírus H1N1, pois em muitos casos não houve comprovação laboratorial.

Como posso me prevenir contra a gripe?








sexta-feira, 29 de maio de 2015

DESCONSTRUÇÃO HIERÁRQUICA

Nossos praças são tratados como mãos para toda obra, sem levar em conta a tão cobrada hierarquia militar.




São usados de maneira a suprir as necessidades dos quartéis e seus comandantes de forma irresponsável e desrespeitosa. 

Promoções conquistadas à duras penas são levadas em conta, apenas para agravarem suas punições, e é comum nos depararmos, de sargentos até subtenentes, escalados em serviços de sentinela nas guardas das OBMs, ou fazendo serviço de limpeza em seções; dentre outras funções não condizentes às suas graduações.
  



O plano de carreira (praças do CBMERJ) serve apenas para aumentar gradativamente o ordenado do BM, já que não há uma política de reajuste salarial. No entanto em relação as funções e tratamento ao graduado, o desrespeito é generalizado.

Esses desvios de finalidades, vícios recorrentes da administração pública, incorrem na prática de atos ilegais. Normalmente ele é imputado por uma vontade particular mascarada como necessidade de serviço.

Os comandantes, com essas condutas abusivas, intencionais e frequentes, ferem a dignidade e a integridade psíquica dos seus comandados, degradando o ambiente de trabalho do BM; compelindo-os, mediante ameaças de punição a fazerem o que a lei não determina.

Assédio moral, constrangimento ilegal e coação, são somente alguns dos crimes cometidos com tais condutas. 




Ainda nessa contramão de desordem administrativa, estão os oficiais (já citado em postagens anteriores) que ingressam na academia D. Pedro II todos os anos, superlotando cada vez mais o efetivo do CBMERJ. Com a missão de comandar uma tropa de graduados cada dia mais velha e exausta pelo tempo de serviço prestado a população. 

A cada ano mais e mais Caciques sobram nessa aldeia chamada Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro; só faltam os índios. 





Houveram conquistas, mas ainda há muito pra consertar. 
Juntos somos fortes! 

ATITUDE CORRETA OU ABSURDA ???

CORRETO OU ABSURDO




     Nós do SOS BOMBEIROS, pregamos e sempre iremos pregar o justo, o correto, então, veremos o fato acima, o Bombeiro 3º SGT, Auxiliar de Rancho, MOTORISTA, sentinela, foi surpreendido com esse PAD, ocorre que não houve parte geradora como vocês podem ver acima, foi citado na resposta de um memorando, (.......) como,que, em tese, INFRINGIU o regulamento de uniformes. Não estamos aqui defendendo A ou B, estamos pelo regulamento, pela Honra, Pundonor  e ética, 
     Vemos que o Senhor Cap conhece de forma bem ampla e substancial o nosso regulamento,..... não pregamos covardia, não pregamos discórdia, não pregamos separação, PREGAMOS respeito e hierarquia, tanto do Soldado para o Coronel, quanto do Coronel para o Soldado, isto é, pregamos a UNIÃO, quando o militar, do Soldado ao Coronel, erra, concordamos com a punição, desde que justa, sem ferir a honra e a dignidade do militar, porem quando se trata de covardia, temos REPULSA,

Em tempo: Nosso DEPARTAMENTO JURÍDICO ESTÁ NO CASO E TOMANDO AS DEVIDAS PROVIDÊNCIAS.

JUNTOS SOMOS FORTES 

S.O.S SERRANA

BOMBEIRO QUE TRABALHA NA CAPTURA DE ANIMAIS DEVE FICAR ATENTO

DEPOIS DE 21 ANOS, MATO GROSSO DO SUL REGISTRA CASO DE RAIVA HUMANA


Foto: Agentes de saúde do Mato Grosso do Sul fazendo vacinação antirrábica de animais domésticos (Portal G1)


Mato Grosso do Sul registrou a primeira morte por raiva humana nos últimos 20 anos. O paciente, de Corumbá, estava internado no hospital universitário em Campo Grande e morreu nessa quarta-feira (13).

Flavio de Moraes, 38 anos, foi mordido por um cão de rua e só procurou o médico quando os primeiro sintomas apareceram, quase dois meses depois do ataque.
“Ele não gostava de médico e não foi procurar assistência médica”, conta Sebastião da Silva Pires, cunhado de Flávio.

Os médicos tentaram um tratamento para inibir a ação do vírus e também com uma proteína para proteger as células do cérebro. Mas a doença estava em estágio avançado. “Perda de controle da pressão arterial, descontrole da frequência cardíaca. Ele evoluiu para um edema cerebral importante que foi o que levou à parada cardíaca dele”, explica o neurologista Nilson Moro Junior.

O paciente em Campo Grande ficou internado 27 dias no Hospital Universitário e os médicos tentaram um tratamento que é autorizado pelo ministério da Saúde, mas que ainda é experimental e só salvou cinco pessoas no mundo. E todos com sequelas neurológicas. Agora, uma pessoa que foi mordida por um cão ou um gato pode evitar a raiva simplesmente tomando a vacina.

A vacina antirrábica está disponível de graça nos postos, mas só é aplicada em pessoas mordidas por cães, gatos ou que tiveram contato com morcegos. No Brasil, o único caso de cura de raiva humana foi em Pernambuco, em 2008. Marciano ficou com sequelas, não anda mais.

De 2010 até agora, 15 pessoas morreram de raiva no Brasil, a maioria no Nordeste. O controle da doença é feito pela vacinação em animais. Em Corumbá, onde o homem foi mordido pelo cão raivoso, uma força tarefa vacinou 23.059 cães e gatos. 

Em Campo Grande, desde o início do ano foram encontrados quatro morcegos com o vírus da raiva. E os médicos alertam: se for mordido por algum animal, deve ir logo a um posto de saúde se vacinar.


Os sintomas da raiva humana

O tempo real entre a infecção e o aparecimento da doença varia muito - ser de dez dias a sete anos. Esse período é chamado de incubação. O tempo médio corresponde a esse período, no entanto, é de três a 12 semanas.
Os sintomas podem incluir:
  • Babar em excesso
  • Convulsão
  • Sensibilidade exagerada no local da mordida
  • Excitabilidade
  • Perda de sensibilidade em uma área do corpo
  • Perda de função muscular
  • Febre baixa
  • Espasmos musculares
  • Entorpecimento e formigamento
  • Dor no local da mordida
  • Agitação e ansiedade
  • Dificuldade de engolir (beber algo provoca espasmos da laringe).

Em caso de mordedura por animal de rua procurar a unidade de atendimento mais próxima a sua residencia.


Polos de vacinação na cidade do Rio de Janeiro

As vacinas antirrábicas para animais fora da campanha podem ser adquiridas gratuitamente :

Instituto Municipal Jorge Vaitsman

Av. Bartolomeu de Gusmão,n°120

Mangueira

Horário de atendimento de 8:00h ás 12:00 e 13:00 ás 16:00 
Tels.: 2254-2100/2108


E para pessoas que possuam mais de 17 animais, solicitar pelo número 1746, a equipe de agentes de saúde para fazer as vacinas no local.




quinta-feira, 28 de maio de 2015

30% de periculosidade para agentes da segurança pública

Comissão de segurança aprova projeto de lei que cria percentual de periculosidade para agentes da segurança pública. O percentual será de no mínimo 30% sobre a remuneração total do profissional. Agora a matéria segue para avaliação das comissões para posteriormente serem submetidas a votação.



Fonte: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/SEGURANCA/488793-COMISSAO-APROVA-ADICIONAL-DE-PERICULOSIDADE-PARA-PROFISSIONAIS-DE-SEGURANCA-PUBLICA.html


Emendas:
Uma das emendas estabelece que a atividade dos policiais legislativos federais, integrantes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, também é considerada típica de Estado para todos os efeitos legais. Outra emenda assegura aos profissionais desses órgãos, inclusive inativos, além dos inativos de todos os órgãos de segurança pública, o adicional de periculosidade, nos percentuais a serem definidos na legislação do respectivo ente federado.

Além disso, foi aprovada emenda que estende o adicional de periculosidade aos agentes penitenciários e carreiras correlatas.

Outra emenda aprovada conceitua profissão perigosa e penosa como aquela desenvolvida pelo profissional integrante dos órgãos de segurança pública no desempenho das operações que lhes são inerentes, pelo seu desgaste orgânico e danos psicossomáticos sofridos em decorrência da violência física e psíquica que estão sujeitos quando da preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

Regras
Pela proposta, o adicional de periculosidade será devido ainda que a atividade seja exercida a título de capacitação ou treinamento, assim como para a atividade que envolva a execução de tiro real, porte de arma ou manuseio de explosivos ou inflamáveis. O servidor continuará recebendo o benefício nos casos de afastamentos decorrentes de acidente em serviço, de moléstia contraída no exercício da função e durante os afastamentos legais de até 30 dias. 

Tramitação
A proposta tem caráter conclusivo e ainda será votada pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Vereador Bombeiro Marcio Garcia é recebido pelo Secretário de Defesa Civil e Comandante Geral do CBMERJ

Desde que assumiu o mandato em 2013, o Vereador Marcio Garcia, foi impedido de adentrar nas unidades da corporação (de maneira oficiosa) pelo antigo secretário, utilizando-se até mesmo de força física. 


Não obstante, de forma surpreende, na passagem de comando no quartel central, dos comandantes gerais, onde o Vereador Marcio Garcia esteve presente (não sendo impedida sua entrada), recebeu o convite do novo secretário, Cel BM Alcântara, para dialogar.


Segue abaixo a postagem do blog do Vereador:


Conforme comunicado publicado neste blog (http://www.marciogarciarj.com.br/2015/05/comunicado-aos-bombeiros.html), na tarde desta terça-feira, dia 26 de maio, fui até o gabinete do atual Secretário Estadual de Defesa Civil e Comandante Geral (Cel Bm Alcântara) para solicitar a colaboração do CBMERJ nas ações da Comissão Permanente de Defesa Civil da Câmara Municipal, a qual tenho a honra de presidir.



Encontro ocorrido em 26/05/2015


Aproveitei ainda a oportunidade para apresentar a pauta de reivindicações dos bombeiros e debater alguns assuntos de interesse para a Corporação, entre eles, a desvinculação do SAMU. O Comandante se comprometeu comigo em manter um canal permanente de diálogo, o que representa uma ótima oportunidade para fazer chegar ao Comandante Geral as necessidades dos Bombeiros.

Não é de hoje que venho afirmando que um representante não faz o que vem na sua cabeça, ele tem que seguir a orientação de seus representados. Ao ponto de entender que a minha opinião pessoal sobre determinada questão não tem mais importância do que a opinião de qualquer outro bombeiro, o que interessa é a opinião da maioria, mas isso não tira o meu direito de ter uma opinião e defendê-la.

Dito isso, eu entendo que o papel de um representante político é na defesa dos interesses de seus representados, assim como um advogado representa em juízo o interesse do seu cliente. Para cumprir bem essa função, o representante político precisa de autoridade, prestígio e acesso as autoridades para apresentar e defender as demandas de seus clientes, no caso do representante político, os seus eleitores.


Por fim, submeto a apreciação de todos a proposta de fazer do mandato de vereador um canal de acesso e defesa dos interesses dos bombeiros junto ao Comando do CBMERJ. 








Fonte: http://www.marciogarciarj.com.br/2015/05/reuniao-com-o-comandante-geral.html


SOS BOMBEIROS: Não é à toa que é conhecido na intimidade como "Malandrão", temos que reconhecer que sua atitude foi diplomática, estratégica e inteligente. Talvez tenham percebido que confrontar uma legítima representatividade dos bombeiros, que vem realizando um bom trabalho, dentro das possibilidade da vereança, não é interessante pra ninguém.

Por outro lado, é uma oportunidade que temos de tirar proveito desta atitude que expressa bem mais do que as palavras aqui escrita. Precisaremos refletir bem para posteriormente lapidarmos os entendimentos. 

É claro que não estamos desconsiderando que quem está sentado naquela cadeira fazia parte do time que prendeu em presídio de segurança máxima, expulsou, transferiu, realizou uma série de medidas para defender seus interesses.

Hoje, estamos um pouco mais maduros que ontem, e já percebemos que no mundo real serão melhores sucedidos aqueles que com serenidade sabem tirar proveito das oportunidades e adversidades que a vida apresenta. 

Este momento traduz bem o que foi afirmado; certamente nos reuniremos para alinhar de que forma estaremos caminhando dentro desta fase que se revela ao movimento SOS BOMBEIROS.

De antemão destacamos a postura do Vereador que se submete a opinião daqueles que o elegeram, utilizando o mandato como instrumento de intermediação entre as necessidades dos eleitores bombeiros e a atual administração do CBMERJ.

terça-feira, 26 de maio de 2015

BOAS NOTÍCIAS DO AMIGO CB BM BRUNO ALBUQUERQUE

RECEBEMOS POR AMIGOS DO WHATSAPP, PEQUENAS INFORMAÇÕES SOBRE O ESTADO DE SAÚDE DO NOSSO GUERREIRO.



FOTO: CB BM BRUNO ALBUQUERQUE



QUE DURANTE DESENCARCERAMENTO DE DUAS VÍTIMAS, ACIDENTOU-SE TENDO O POLEGAR DA MÃO DIREITA DECEPADO, EM VIRTUDE DA BAIXA LUMINOSIDADE.


FOTO APÓS CIRURGIA


WHATSAPP:

"Boa noite grupo, estive là hoje e o médico disse que está evoluindo muito bem a parte superior está bem vascularizada e se tudo der certo na quarta feira ele já terá alta..."



Fonte: WhatsApp



POLICIAL FEMININA PODERÁ FICAR TETRAPLÉGICA

Nós, Policiais Militares, somos as principais vítimas da "pacificação".

Todo dia nós repetimos essa frase.

A nossa companheira poderá ficar tetraplégica e a culpa é desse governo que nos expõe constantemente ao risco de morte, em razão da péssima gestão da Segurança Pública.

Excelentíssimo Governador Pezão cumpra o seu dever e exonere o Secretário de Segurança Beltrame, ele está destruindo a Polícia Militar e sem nós, Policiais Militares, não existe segurança pública.




"Jornal O Dia 
26/05/2015 00:26:55
PM baleada na Zona Oeste pode ficar tetraplégica
Drielle e um colega perseguiram bandidos em Realengo, que trocaram tiros com os agentes
Guilherme Santos
Rio - Três policiais militares foram baleados nesta segunda-feira. O caso mais grave é o da soldado Drielle Lasnor Morais, de 25 anos, atingida no rosto durante uma perseguição em Realengo, na Zona Oeste. Ela foi operada e corre o risco de ficar tetraplégica. Já o cabo identificado como Da Silva foi ferido na coxa numa operação da PM em Parada de Lucas, na Zona Norte. Somente este ano, 124 militares foram baleados no estado, sendo que 84 estavam de serviço. 

A soldado do 14º BPM (Bangu) fazia patrulhamento na Estrada Água Branca, na madrugada de ontem, quando ela e um colega de farda suspeitaram de um Gol verde e tentaram abordá-lo. O motorista fugiu. Houve perseguição e tiroteio. O veículo bateu no muro de uma igreja, mas PMs localizaram Rafael Paiva de Oliveira, de 22 anos, e Gustavo Marques Assumpção, o Beça, 26. Este último é, segundo policiais, gerente do tráfico da favela Curral das Éguas, em Magalhães Bastos (Fonte)."

Fonte: http://www.sospoliciais.com/2015/05/policial-militar-feminina-podera-ficar.html



SOS BOMBEIROS: A que ponto chegou a segurança pública do estado do Rio de Janeiro, totalmente refém de uma política de auto promoção de governo, que não se preocupa em nada com a vida de seus servidores (policiais), cuja vida já foi banalizada; são simplesmente RG's que avolumam as estatísticas de óbito e sequelas. 


A POLICIA MILITAR PEDE SOCORRO!!!

segunda-feira, 25 de maio de 2015

VIATURA DOS BOMBEIROS SE ENVOLVE EM ACIDENTE NA ÚLTIMA MADRUGADA

Viatura Neonatal, ASE 283 do Corpo de bombeiros, que mais uma vez viajava de madrugada, cumprindo mandado judicial de 24h, sofre acidente grave em São Pedro da Aldeia. Não houve óbito, porém o motorista está com suspeita de ter feito um traumatismo crânio-encefálico.





É a segunda vez em 1 semana que viaturas dos Bombeiros se envolvem em acidentes por viajar de madrugada. O fator complicador é que em alguns casos, estão cumprindo ordem judicial (como este). Nos parece que a viagem pela madrugada, que já é perigosa por si própria, não pode ser feita por equipes que assumiram o serviço na manhã daquele dia.

A administração do GSE (Cel Suarez) precisa pensar sobre esses trans lados que põe em risco a vida de nossos bombeiros. Talvez uma das soluções viáveis seria realizar esta operação com equipes descansadas, que não estivessem empenhada na ralação do dia.

Cabe aos gestores deste grupamento (GSE) preservar pela vida e segurança de seus subordinados. 

Esse é o sentimento de uma das vítimas bombeiros:

- "Será que agora alguém terá um olhar diferente sobre as viagens na madrugada que fazemos direto???"


VIAGEM A SÃO PAULO PARA CONHECER DE PERTO UM DOS SAMU REFERÊNCIA EM FUNCIONAMENTO

Nesta última quinta-feira (21), voei para São Paulo a fim de conhecer de perto o SAMU da cidade de São Paulo; em que visitamos inicialmente a sede administrativa e a central de regulação no bairro do Bom Retiro. Lá, fomos muito bem recebidos pelo Coordenador do SAMU (Sr. Carlos Kajimoto), pelo Coordenador da Central de Regulação, e o responsável técnico do serviço (Dr. Ademir Euzébio Corrêa) e vários outros servidores.

 

Conversamos por horas com os profissionais, reunimos informações, e estamos cada vez mais convencidos de que não é uma boa opção para o Rio de Janeiro manter o SAMU da cidade vinculado ao atendimento do CBMERJ.








Na sexta-feira (22) foi a vez de ouvir nossos colegas bombeiros de São Paulo. Fomos recebidos e acompanhando pela chefia de gabinete do Comandante Geral, que nos acompanhou e prestou todos os esclarecimentos sobre o APH em São Paulo. 

A cada dia estamos mais convencidos de que necessitamos urgentemente desvincular o atendimento do SAMU do CBMERJ. Será melhor para a população, para o Corpo de Bombeiros e para os Bombeiros.








SOS BOMBEIROS: Nós, militares da saúde, mais especificamente os que corremos nas ambulâncias do SAMU, nos sentimos esperançosos ao ver o esforço e empenho que o Vereador Marcio Garcia tem empreendido em nossa causa.

Sem dúvidas a dissociação é a melhor opção para a população e para a saúde dos bombeiros, que beira a um enfarto. Não temos condições de assumir todo o sistema de atendimento de urgência da cidade. Queremos nos dedicar somente aos traumas, como no passado.