quarta-feira, 10 de junho de 2015

Mudanças no regulamento disciplinar da PM e BM mobiliza deputados na ALERJ



O documento que será encaminhado ao governador Pezão solicitando o envio de mensagem para modificação no regulamento DISCIPLINAR da Policia e Bombeiro militar, mobiliza tanto os parlamentares que assinaram quanto os que não tiveram acesso ao documento por já terem reunido o número mínimo de assinaturas para o envio.

O tema é do interesse de todos, mas parece que alguns parlamentares ainda desconhecem os trabalhos realizados na ALERJ, no ano passado. Isso porque há os que dizem que o tema tem que ser discutido com setores da polícia e bombeiro. Onde é que este deputado estava que não tem conhecimento das exaustivas reuniões da comissão de segurança pública com representantes das instituições e das classes?

Todavia a mensagem principal que queremos destacar é de que a pauta tem ganhado força e chamado a atenção de todos. Se confirmado o envio de mensagem do executivo para ALERJ sobre o tema, não poderemos nos omitir em participar ativamente, e presencialmente, do processo de votações, nossa presença nas arquibancadas da ALERJ será fundamental. 

Estamos aqui cantando a pedra de que a força continua em nossas mãos; o que está por se apresentar diante de nós  é uma oportunidade única de adequação do regulamento arcaico que nos rege, e dá margem para inúmeras arbitrariedades e covardias. 

Fiquem todos em alerta porque em breve o brado de convocação será dado!

28 comentários:

  1. Creio que faltou uma coisinha simplesinha a apreciação da tropa. Foi feita audiências Publica mas na verdade a tropa por estrita ignorância no seu todo não foi, isso acontece devido ao costume de Militar de outros tomarem decisões por ele, por tanto deve ser fazer algo para apreciação e aberto um canal de opiniões antes da aprovação! Peço ao excelentíssimo senhor Deputado Flávio Bolsonaro bem como ao Senhor Vereador Marcio Garcia que esteve em todas as audiências!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara Deus amigo que você não seja um Militar do Cbmerj que não tenha ido,Pois circulou direto chamadas para apreciarmos o novo regulamento,e lógico que tem se dar visão desta mudança,mais o medo como sempre,não querem aparecer,sempre reclamando.

      Excluir
  2. Com certeza irei, eles dizem em consultar consultar os setores 'oficiais' que não querem a mudança, mas as praças querem sim estaremis todos na alerj, atenção HCAP e GSE.

    ResponderExcluir
  3. Deixa ver se eu entendi. Se aprovado essa proposta em vez do militar ficar preso ele vai trabalhar???
    Vai mudar o nome de prisão pra trabalho forçado??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmão vacilações e corrupções estão vindo de Praças e também de Oficiais,tem que se parar de fazer merda, e gritar em bom som:Vou levar ao conhecimento do Movimento,se fi\erem merdas,chegar atrasado,faltar serviço,tem mais e que ser punido,Oficial e Praça.

      Excluir
  4. Se tiver alguma reunião sobre o assunto, que praças estejam presentes tb, se o regulamento fosse justo a todos nada precisava ser mudado, mas como há diversas injustiças que sejam corrigida e que venha um novo regulamento e o arcaico pro lixo.

    ResponderExcluir
  5. ISSO TEM QUE ACONTECER LOGO. E VERGONHOSO! COMO OS OFICIAIS LHE DÃO COM AS APURAÇÕES SUMÁRIAS, SINDICÂNCIAS E IPM, EU JÁ VI SITUAÇÃO QUE UM CAPITÃO RESPONSAVEL POR UMA SINDICÂNCIA QUE ERA APURAR UM TENENTE, E O MESMO NEM OUVIU O TENENTE, FEZ O TERMO DE INQUIRIÇÃO, RESPONDENDO PELO TENENTE, E SÓ ENTREGOU PRA ELE LER, PERGUNTANDO SE ELE CONCORDAVA COM O QUE ESCREVEU, E SE TIVESSE CONCORDADO QUE ELE ASSINASSE. LÓGICO! ELE SAFOU O TENENTE. ISSO QUANDO OFICIAL RESPONSÁVEL NÃO TERCEIRIZA A SINDICÂNCIA.

    ResponderExcluir
  6. Subtenente Bm Valdelei Duarte10 de junho de 2015 14:58

    Sugiro que coloquem, ou mesmo criem um link no site SOS BOMBEIROS, para que todos tenham conhecimento dos temas e vídeos discutidos na audiência pública, assim como o que foi votado nessa audiência pública, a ser enviado ao executivo,para que todos tenham conhecimento dessa mudança, e consequentemente, uma maior participação.
    JUNTOS SOMOS FORTES.

    ResponderExcluir
  7. Realmente beira o absurdo essas prisões disciplinares. No HCAP tem um militar que está preso porque lavou uma viatura oficial e o comando anteriormente havia dado uma norma de economia de água. Imagina vc ficar longe do convívio da sua família porque manteve a viatura limpa? E se atende a população com a viatura imunda, o que aconteceria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficam presos quando querem responder de próprio punho ,não procuram advogados,não levam ao conhecimento da Alerj,MP e da Mídia.Setenta e duas horas para responder um memorando,indo nas Assessorias,prorrogam mais dez dias,isso pelo Advogado das causas,infelizmente a maioria fica preso depois perguntam quanto aos Advogados,ai rapaziada,cumpra-se.Pois todos sabem que só querem punir os Praças mais mesmo assim muitos não aprendem.

      Excluir
    2. Eles querem um bucha pra botar a cara e correr atrás pra eles.

      Excluir
    3. A norma de economia de água não é só no HCAP. Quem não cumpre as normas é indisciplinado e não considera as ordens de seus superiores hierárquicos.

      Excluir
    4. A gente compreende a norma, mas limpar uma ambulancia cheia de sangue com paninho é impossivel..
      Bom senso, please!!

      Excluir
    5. Concordo com vc Anônimo das 22:05! Me perdoe, eu não sabia que se tratava de uma ambulância, já que não foi informada a viatura anteriormente.

      Excluir
    6. Ué se faz merda é só recorrer à midia? À Alerj e outros mais? Bota a viola no saco e assume as besteiras que faz!!

      Excluir
  8. Tem que mudar! NAO PODE OS PIRINEIS, LARANJEIRAS, E OUTROS QUE COMETERAM CRIMES FICAREM IMPUNES, e bombeiros sendo presos por cabelo grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corta o cabelo que eu duvido que fica preso!

      Excluir
    2. O Bombeiro corta o cabelo e os Coronéis deem bons exemplos e respeitem seus pares e subordinados.pronto,Militarismo.

      Excluir
    3. Enquanto nós mesmos Tenentes Coronéis,mais antigos,ficarmos de braços cruzados,vendo os Praças nos representando,seremos ultrapassado,pelo Tc Osman,já fomos ultrapassados pelo agora Coronel Laranjeiras cmt do cfap.E o regulamento por antiguidade nunca será cumprido.Se estamos calados é porque estamos satisfeitos.Abraços.

      Excluir
  9. Com essa falta de efetivo, vai chover prisão, ops... serviço extra!!!! HEHE

    ResponderExcluir
  10. Temos que conhecer o regulamento cadê???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para conhecer o regulamento tem quer ler ele para começar, ainda não tem copia do rdcbmerj no botequim.

      Excluir
  11. O dia que chover canivete esta lei e aprovada

    ResponderExcluir
  12. Que rufem os tambores,vai Bradar Geral,todos na Escadaria da Alerj,quando chamados.Pois é do interesse da Tropa!!!Não somos contra o regulamento mais que seja para todos e acabe o mesmo arcaico de anos.Oficiais e Praças respondam iguais.Errou,pau no gato sem massagem.

    ResponderExcluir
  13. Do mesmo jeito que hoje temos exageros devido as prisões,quem que pode me afirmar que não vai haver exageros com serviços extras,ai vc estaria trocando uma coisa por outra pq o comando em vez de ter que requisitar concursos ou pagar proeis pra ter mais bombeiros nos quarteis ,vai inventar punições pra ter bms fazendo extras de graça,OLHA SÓ ISSO DIREITINHO PQ QUEM IRIA FICAR LONGE DA FAMILIA POR CAUSA DE DETENÇÃO VAI FICAR LONGE POR CAUSA DE SERVIÇO EXTRA E RALANDO DE GRAÇA PRA COMANDANTE,AINDA NÃO CONSEGUI VER VANTAGEM NISSO ACHO QUE DEVO SER MUITO IGNORANTE OU DEVO TA CEGO,POR FAVOR SENHOR VEREADOR ME EXPLICA ISSO MELHOR POIS COMO PRAÇA QUE SOU E SEMPRE SENDO PREJUDICADO POR ISSO,NÃO QUERO TER QUE TRABALHAR DE GRAÇA POIS MINHA FAMILIA DEPENDE DO MEU TRABALHO.

    ResponderExcluir
  14. Eu quero só ver como vai ser o relacionamento com aqueles que só querem ficar de chinelinho, que tem sempre uma historinha pra explicar o atraso, que não tem educação, que não aceita ser subordinado de um semianalfabeto, que não quer trabalhar, que só quer sugar o nosso sangue e o do contribuinte.

    ResponderExcluir
  15. Subtenente BM Valdelei Duarte.11 de junho de 2015 20:10

    PEC 193\ 2015 ? PEC ( Proposta de Emenda Constitucional). "Aprovada na comissão, a PEC está pronta para votação em plenário. Entretanto, há algumas regras a serem seguidas. É necessária a aprovação em dois turnos, com espaço de pelo menos cinco sessões entre um turno e outro. Esse prazo é chamado de interstício.

    Para ser aprovada, a proposta deverá obter os votos de três quintos, no mínimo, do número total de deputados da Câmara em cada turno da votação. Ou seja, aprovação de 308 dos 513 deputados. A esse quórum que aprovar emendas à Constituição, dá-se o nome de quórum qualificado.

    Após a aprovação da proposta em segundo turno, ela deverá também voltar à Comissão Especial para a redação final do que foi aprovado. Se for o caso, poderão ser propostas emendas de redação.

    A votação da redação final pelo Plenário deverá ocorrer após o prazo de duas sessões, contado a partir de sua publicação ou distribuição em avulsos.

    NO SENADO FEDERAL
    CCJ do Senado

    O Presidente da Câmara mandará a proposta aprovada para o Senado onde tramitará segundo as regras de seu Regimento Interno que é diferente do da Câmara. No Senado, a proposta irá apenas para a Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ), que dará parecer sobre todos os seus aspectos. O Regimento do Senado não distingue admissibilidade e mérito. A comissão tem prazo de 30 dias para dar o parecer.

    Para propor emendas, a Comissão deve ter a assinatura de pelo menos um terço do Senado.

    Plenário do Senado

    Aprovada na CCJ, a proposta segue diretamente para o plenário, que abre prazo de cinco sessões para discussão. A aprovação também se dá em dois turnos, com votação favorável mínima de 60% dos senadores em cada um dos turnos. São necessário, ma legislatura atual, aprovação de 49 dos 81 senadores. O intervalo entre as votações é de no mínimo cinco dias.

    Durante a discussão em segundo turno apenas emendas que não alterem o mérito da proposta poderão ser apresentadas. Outras emendas poderão ser apresentadas durante a discussão da proposta no Plenário em primeiro turno. Essas emendas deverão ser assinadas pelo menos por um terço dos senadores.

    O Senado poderá rejeitar a proposta, propor alterações ou aprová-la integralmente:

    Rejeitar a proposta - a PEC é mandada para o arquivo e não poderá mais ser apresentada na mesma Legislatura. Dizemos que está com impedimento constitucional.

    Propor alterações - a matéria retornará à Comissão Especial da Câmara para a apreciação das alterações. Volta-se, então, praticamente ao mesmo ponto de partida da tramitação, já que as emendas deverão seguir o mesmo procedimento da proposta original.

    Aprová-la integralmente - a Câmara será comunicada e deverá ser convocada sessão do Congresso para a promulgação.

    Promulgação

    Caso a PEC que saiu da Câmara não tenha sido alterada pelo Senado, o texto é promulgado em sessão no Congresso pelo Presidente da República e entra, então, em vigor. Ou seja, é como se fosse uma Lei a ser cumprida. Abraços a todos e JUNTOS SOMOS FORTES.

    ResponderExcluir
  16. Na inércia,que nos encontramos,não podemos reclamar que os Oficiais mais modernos estão nos ultrapassando,mesmo que um dia fomos instrutores deles:Osman,Laranjeiras,Jarbas,a culpa é somente nossa.Pois não lutamos pelos nossos próprios direitos.Vida que segue.....

    ResponderExcluir

Comentários com palavras de baixo calão, agressivas ou que estimulem a violência ou prática criminosas não vão ser publicados.

Citações ou acusações pessoais somente são publicadas com a identificação do autor do comentário.

Se sentiu ofendido? Quer ter o direito de resposta? Faça contato pelo email (enderecumemaium@gmail.com) ou use os comentários para defender seu ponto de vista.

O BLOG é seu. Use-o com sabedoria.