sexta-feira, 31 de julho de 2015

APELO DO AMIGO

video

ANTEPROJETO DE LEI QUE FOI APRESENTADO AO GOVERNADOR PEZÃO - PARTE VIII

Dando continuidade, de maneira sequencial, a exposição em trechos da proposta que fora construída a partir das reuniões conjuntas da comissão de segurança pública da ALERJ, mais representantes das corporações (PM E BM) e de classe, para compor o novo código de ética dos militares estaduais.


A exposição para críticas visa a participação de todos que entendem ser importante discutirmos um possível novo regulamento disciplinar.






Capítulo VIII

Direitos e Recompensas

Seção I

Recursos


Art. 86. São os instrumentos utilizados pelo militar para impugnar ato punitivo que ostente ilegalidade.

§ 1° O recurso interposto perante superior afasta a possibilidade de manifestação de instância inferior. 

§ 2º Constituem espécies de recursos no âmbito da Corporação:

a) pedido de Reconsideração;
b) representação; e
c) revisão de processo.

§ 3° No âmbito da corporação, os recursos poderão ser interpostos pela parte interessada, ou seu representante mediante procuração, devendo ser formalizados por requerimento escrito fundamentado contendo, necessariamente, as razões de fato e de direito motivadoras do pedido.

§ 4° Os recursos poderão ser interpostos no prazo iniciado no dia seguinte ao da notificação e encerrado no décimo dia, salvo se incidir em data em que não haja expediente, hipótese em que o prazo será prorrogado até o primeiro dia útil seguinte.

§ 5° A autoridade a quem seja dirigido o recurso, deverá examiná-lo, decidir sobre seu acolhimento e publicar sua decisão no prazo de, até, 20 (vinte) dias, podendo prorrogar o exame por mais 10 (dez) dias, mediante expressa e fundamentada justificativa.

Seção II

Do Pedido de Reconsideração

Art. 87. O pedido de reconsideração constitui-se no instrumento para impugnação de ato punitivo, formulado perante a própria autoridade que expediu o ato, para que o reavalie, anulando-o ou alterando-o nos moldes pretendidos pelo requerente.

§ 1º O pedido de reconsideração, quando impetrado para a impugnação de prestação de serviços, terá efeito suspensivo.

§ 2º Não caberá pedido de reconsideração para a medida cautelar disciplinar, sendo aplicável, neste caso, representação dirigida à autoridade imediatamente superior a quem a aplicou ou ao Corregedor da corporação.

§ 3º Incumbirá à autoridade que receber a representação de que trata o parágrafo anterior, verificada a presença de arbítrio ou ilegalidade, impor à autoridade determinante da medida cautelar disciplinar indevida, sanção por transgressão disciplinar de natureza grave.

§ 4º A decisão do pedido de reconsideração não admite novo pedido, tampouco reexame por parte da autoridade que proferiu o ato.

Seção III

Da Representação

Art. 88. A representação constitui-se em recurso passível de ser formulado por qualquer militar, dirigido à autoridade superior, visando noticiar irregularidade ou abuso de poder ocorridos no âmbito da corporação.

Parágrafo único. A representação deverá ser endereçada à autoridade a que esteja subordinado o recorrente. Ante a hipótese de que seja ela a responsável pelo ato questionado, a representação deverá ser encaminhada à autoridade imediatamente superior ou, ainda, quando o assunto assim venha a recomendar, ao Corregedor.

Seção IV

Da Revisão de Processo

Art. 89. Revisão de processo é o procedimento utilizado objetivando o reexame de ato punitivo, desde que aduzido fato novo ou circunstância que indique a inocência ou inadequação da sanção aplicada.

Art. 90. Os recursos, em regra, serão admitidos com efeito suspensivo, à exceção quando no caso de medida cautelar disciplinar.

Art. 91. As decisões dos recursos deverão ser motivadas e conter as razões de fato e de direito que a consubstanciem, sendo exigível sua publicação e sua manutenção em arquivo - junto ao correspondente requerimento.

Art. 92. Os recursos administrativos disciplinares serão esgotados no âmbito da corporação.

Seção V

Do Cancelamento das Sanções

Art. 93. O cancelamento das sanções disciplinares consiste no direito conferido ao militar de ter eliminadas as anotações relativas às sanções e outras circunstâncias a elas relacionadas de suas alterações e ficha disciplinar.

Art. 94. O cancelamento das sanções será concedido ao militar, mediante requerimento, observados os seguintes prazos:

I - 05 (cinco) anos de efetivo serviço, quando a sanção a cancelar for de natureza grave;
II - 02 (dois) anos de efetivo serviço, quando a sanção a cancelar for de natureza média; e
III - 01 (um) ano de efetivo serviço, quando a sanção a cancelar for de natureza leve.

Parágrafo único. Os prazos acima se condicionam ao cumprimento da sanção e à exigência de que, durante o período determinado, não venha a ocorrer nova sanção ou condenação.

Art. 95. A decisão correspondente ao requerimento para cancelamento de sanção deve ser objeto de publicação em boletim reservado.

§ 1º Atendidas as condições previstas no Art. 94, o requerimento para cancelamento de sanção não poderá ser indeferido.

§ 2º A solução do requerimento de cancelamento de sanção é de competência do Comandante-Geral, exceto quando a sanção houver sido aplicada pelo Secretário de Estado ao qual esteja subordinada a corporação ou Governador do Estado, a quem caberá solucioná-lo.

Art. 96. Todas as anotações relacionadas com as sanções canceladas devem ser tingidas de maneira que não seja possível a sua leitura. Na margem onde for feito o cancelamento deve ser anotado o número e a data do boletim da autoridade que concedeu o cancelamento, sendo essa anotação rubricada pela autoridade competente para assinar as folhas de alterações.

Seção VI

Da Prescrição

Art. 97. A prescrição configura-se como impedimento para o interessado interpor recurso ou para as autoridades se manifestarem sobre transgressão ou fato, em razão do exaurimento dos prazos estabelecidos.

§ 1º O prazo para contagem da prescrição se inicia com o cometimento da transgressão disciplinar.
§ 2º A instauração de procedimento judicial ou administrativo de apuração (Procedimento Administrativo Disciplinar) interromperá o prazo prescricional, que terá sua contagem reiniciada após o término do prazo máximo estabelecido para conclusão do procedimento.

Art. 98. As transgressões graves prescreverão em dois anos, as médias em um ano e as leves em seis meses, exceto ante a não instauração ou suspensão do processo administrativo em face de eventual processo judicial, nos termos deste código – quando os prazos prescricionais serão interrompidos.

Parágrafo único. A prescrição de que trata este artigo ocorrerá mesmo ante a instauração de processo administrativo disciplinar, à exceção das hipóteses em que o processo seja suspenso em face de processo judicial ou impedimento do militar a ele submetido decorrente de inaptidão sanitária comprovada por junta de saúde.

Seção VII

Das Recompensas

Art. 99. O reconhecimento pelos bons serviços prestados ou atos meritórios praticados pelo militar, além de outras, previstas em leis e regulamentos especiais, conferem as seguintes recompensas:

I - o elogio;
II - as dispensas do serviço;
III - a dispensa da revista do recolher e do pernoite, nos centros ou escolas de
formação, para os alunos dos cursos.

Seção VIII

Do Elogio

Art. 100. O elogio pode ser individual ou coletivo.

§ 1º Elogios individuais, que colocam em relevo as qualidades morais e profissionais, somente poderão ser formulados a militares que tenham se destacado dos demais integrantes da corporação no desempenho de ato de serviço ou ação meritória.

§ 2º Somente serão registrados nos assentamentos militares os elogios individuais obtidos no desempenho de funções próprias à atividade militar.

§ 3º O elogio coletivo visa a reconhecer e a ressaltar um grupo de militares, ou fração de tropa, ao cumprir destacadamente determinada missão.

Seção IX

Das Dispensas do Serviço como Recompensas

Art. 101. As dispensas ao serviço como recompensa podem ser:

I - dispensa total do serviço, isentando de todos os trabalhos da Organização Militar, inclusive os de instrução; e
II - dispensa parcial do serviço, isentando de alguns trabalhos especificados na
concessão.

§ 1º A dispensa total do serviço é concedida no prazo máximo de oito dias, não devendo ultrapassar o total de dezesseis dias no decorrer de um ano civil e não invalidando o direito ao gozo de férias.

§ 2º A dispensa total do serviço poderá ser gozada fora da sede, ficando, neste caso, subordinada às regras relacionadas à concessão de férias.

§ 3º A dispensa total do serviço é regulada por períodos de vinte e quatro horas, contados de boletim em boletim, e sua publicação deve ser feita, no mínimo, vinte e quatro horas antes do início da dispensa, salvo por motivo de força maior.

§ 4º A recompensa de que trata este artigo deve ser gozada durante o comando da autoridade que a concedeu, bem como durante a vigência do ano em que foi concedida, sob pena de preclusão.

Seção X

Dispensas de Revistas como Recompensa

Art. 102. As dispensas das revistas do recolher e do pernoite no quartel podem ser incluídas em uma mesma concessão e não justificam a ausência do serviço para o qual o aluno esteja ou venha a ser escalado e nem de instrução a que deva comparecer.

Art. 103. São competentes para a concessão das recompensas de que trata este capítulo as autoridades especificadas no Art. 18 deste Código.

Art. 104. São competentes para anular, restringir ou ampliar as recompensas concedidas por si ou por seus subordinados, as autoridades especificadas no Art. 18 deste Código, devendo tal decisão ser justificada e publicada em boletim.

Seção XI

Da pontuação das Recompensas

Art. 105. As recompensas abaixo receberão pontuação positiva, conforme sua natureza e as circunstâncias dos fatos que as originaram, nos seguintes limites:

I - elogio Individual: 05 (cinco) pontos cada, caso não tenham sido utilizados na anulação de transgressões leves;
II - elogio Coletivo: 03 (três) pontos cada;
III - comendas concedidas pela corporação: 05 (cinco) pontos cada; e
IV - medalhas de mérito profissional ou militar concedidas pela corporação: 03
(três) pontos cada;

Parágrafo único. A pontuação acima terá validade permanente, entretanto, sua utilização em caso de redução da gravidade de eventuais transgressões, nos termos do § 2º do Art. 27 deste Código, somente poderá ocorrer uma vez a cada 05 anos - devendo ser feito registro de tal cômputo nos assentamentos do militar, quando seja o caso.


SOS BOMBEIROS: A nossa participação neste processo é fundamental, por isso cada um de nós temos que ler cada artigo com toda calma e atenção. Trazendo as contribuições pertinentes à construção de um novo diploma que norteará as relações dentro e fora da caserna. 


Utilizem os comentários para apresentarem suas sugestões. Caso não seja o adequado faça por e-mail: SOSBOMBEIROSRJ2@GMAIL.COM 

quinta-feira, 30 de julho de 2015

NOTÍCIAS DO QUADRO DE SAÚDE DO GV CORREIA

Recebemos boas informações a respeito do quadro de saúde do companheiro Correia; que teve seu corpo, mais de 50%, queimado na explosão do posto 4 em Copacabana.


O quadro do Correia é muito bom, está evoluindo bem e já será encaminhado para a enfermaria. Está comendo, bebendo normalmente e as queimaduras de fato não afetaram nenhum órgão vital.


Enf 9, leito 2 do Hospital Alberto Torres - São Gonçalo. Para visitá-lo permanece 3 pessoas por vez




Agradecemos as rezas e orações dos que intercederam pela vida deste heróis, que a cada dia se recupera deste fatídico acidente. Força Correia!!!

NOTA DE FALECIMENTO

É com muito pesar que informamos a partida da mãe de um guerreiro incansável de nossas lutas. Marcelo Lopes, ou mais conhecido como Lopes.



O Sepultamento será no Cemitério Jardim da Saudade, em Paciência as 16 horas.

Que o Senhor Deus, dono da vida, conforte os corações enlutados dos filhos e amigos.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

BOMBEIROS DENUNCIAM FALTA DE MANUTENÇÃO DA ORLA RIO

Depois do ato covarde do presidente da Orla Rio em tentar responsabilizar os Guarda-vidas pelas más condições dos postos de salvamento, os bombeiros rasgam a boca na Tv sobre a real situação dos postos.






SOS BOMBEIROS: Só há uma solução para está problemática: A Orla Rio perder sua concessão, não há mais como esta empresa permanecer com tantos anos de maus serviços prestados, não só aos bombeiros, mas também à população e na relação com seus próprios funcionários

Policia federal incansável na cola de Cabral e Pezão

Cabral e Pezão
Cabral e Pezão


Como podem ver na matéria abaixo, a Polícia Federal aprendeu documentos em São Paulo de empresa ligada ao COMPERJ, e que segundo Paulo Roberto Costa teria pago propina a Cabral e Pezão em 2010. É mais uma ação do inquérito sobre o envolvimento de Cabral e Pezão no Petrolão. O cerco está se fechando.


Reprodução do Globo online
Reprodução do Globo online

terça-feira, 28 de julho de 2015

ORLA RIO NÃO ASSUME SUAS RESPONSABILIDADES

Com toda essa explosão no posto de salvamento de Copacabana, vem à tona todo descaso e descompromisso da empresa Orla Rio, que tem a concessão para explorar o espaço. Seu presidente, acuado, tenta responsabilizar os Guarda-vidas pela não manutenção dos postos.



Muita cara de pau deste senhor. Há tempos os guarda-vidas estão pelejando para que a ilustre empresa cumpra com suas obrigações contratuais. Mas não será o desespero deste senhor que irá macular a imagem dos nossos heróis.

Contra fatos não há argumentos:

Uma pequena amostra de um posto na zona sul. Posto 2 - Copacabana






Uma amostra de um posto na Barra da Tijuca. Posto 6




Isso sem falar da falta de água e o abandono total da parte de baixo do posto. Essa é a realidade da maioria dos postos do Leme ao Pontal.

Nos parece que a Orla Rio tem muito a se explicar.

ANTEPROJETO DE LEI QUE FOI APRESENTADO AO GOVERNADOR PEZÃO - PARTE VII

Dando continuidade, de maneira sequencial, a exposição em trechos da proposta que fora construída a partir das reuniões conjuntas da comissão de segurança pública da ALERJ, mais representantes das corporações (PM E BM) e de classe, para compor o novo código de ética dos militares estaduais.


A exposição para críticas visa a participação de todos que entendem ser importante discutirmos um possível novo regulamento disciplinar.



Capítulo VI

Da Modificação das Sanções Administrativas


Seção I

Competência

Art. 69. A modificação da sanção pode ser promovida pela autoridade que a aplicou ou por outra de grau hierárquico superior e com atribuição para tal, uma vez presentes fatos ou circunstâncias autorizadoras de tal procedimento.

Art. 70. Terão atribuição para anular, relevar, atenuar e agravar as sanções impostas, por si ou por seus subordinados, as autoridades discriminadas no Art. 18 deste Código, devendo esta decisão ser justificada e publicada em boletim.


Seção II

Das Formas de Modificações

Art. 71. As formas de modificação das sanções são as seguintes:

I – anulação;

II – relevação;

III – atenuação;

IV – agravamento.


Seção III

Da Anulação

Art. 72. A anulação da sanção consiste no seu desfazimento em decorrência de ilegalidade no ato de sua aplicação ou, quando de natureza leve, mediante requerimento do transgressor no sentido de sua compensação por elogio individual relacionado a desempenho profissional ou ato meritório de serviço recebido durante o último ano - a contar, retroativamente, da data do cometimento da falta.

§ 1° A anulação poderá ser realizada a qualquer tempo pela própria autoridade que aplicou a sanção ou pelas autoridades especificadas nos Incisos I, II, III e IV do Art. 18 deste Código.

§ 2° O ato de anulação deverá conter as razões de fato e de direito autorizadoras da medida, sendo necessariamente objeto de publicação em boletim.

§ 3° A anulação, se concedida durante o cumprimento da sanção, implica em que seja o punido dispensado ou substituído, imediatamente, de serviço em que se encontre em virtude da mesma.

§ 4º No caso de anulação mediante compensação por elogio recebido, cada elogio somente poderá ensejar uma anulação.

Art. 73. A anulação de sanção cancela todos efeitos a ela vinculados, implicando, portanto, na eliminação de toda e qualquer anotação ou registro de sua aplicação nas alterações do militar, retroagindo seus efeitos à data de sua aplicação.

§ 1° A eliminação de anotação ou registro de punição disciplinar deverá ocorrer mediante substituição da folha de alterações que o consubstancia, fazendo constar no espaço correspondente, o número e a data do boletim que publicou a anulação, seguidos do nome e rubrica da autoridade expedidora desse boletim.

§ 2° A autoridade que anular a punição disciplinar, comunicará o ato ao setor e inteligência da Organização Militar.

Art. 74. Todo militar que tiver conhecimento de comprovada ilegalidade na aplicação de sanção e não detenha atribuição para anulá-la, deve propor a anulação à autoridade competente, fundamentando sua proposta.


Seção IV

Da Relevação

Art. 75. A relevação consiste na suspensão do cumprimento de sanção imposta, sem que sejam apagados seus registros ou sustados seus demais efeitos.

Parágrafo único. A relevação da sanção poderá ser concedida quando ficar comprovado que foram atingidos os objetivos visados com a aplicação da mesma, independente do tempo de sanção a cumprir.


Seção V

Da Atenuação

Art. 76. A atenuação consiste na transformação, por autoridade imediatamente superior àquela que impôs a sanção, da medida proposta ou aplicada em outra menos rigorosa, se assim o exigirem o interesse da disciplina e a ação educativa ao punido.


Seção VI

Do Agravamento

Art. 77. O agravamento é a transformação, por autoridade imediatamente superior àquela que impôs a sanção, da medida proposta ou aplicada em outra mais rigorosa, se assim o exigirem o interesse da disciplina e ação educativa do punido.


Capítulo VII

Comportamento Militar


Seção I

Conceituação

Art. 78. O comportamento militar constitui-se no conjunto de informações de ordem profissional, pessoal e social que traduzem a conduta do oficial e da praça sob o ponto de vista disciplinar.

§ 1° A classificação, reclassificação e melhoria de comportamento, constituem atribuição de iniciativa do Comandante-Geral e dos comandantes de Organizações Militares, observados os dispositivos deste capítulo, devendo, necessariamente, ser publicada em boletim reservado.

§ 2º Ao ser incluído na corporação, o militar será classificado no comportamento “EXCEPCIONAL”.


Seção II

Da Classificação do Comportamento Militar

Art. 79. O comportamento militar será classificado em:

I - EXCEPCIONAL

II - ÓTIMO

III - BOM

IV - INSUFICIENTE

V - MAU


Seção III

Da Progressão do Comportamento

Art. 80. A progressão de classificação do comportamento será gradual e objetiva, obedecidas as seguintes situações:

I - Do MAU para o INSUFICIENTE, quando não cometer nova transgressão durante o período de 01 (um) ano;

II - Do INSUFICIENTE para o BOM, quando não cometer nova transgressão durante o período de 02 (dois) anos;

III - Do BOM para o ÓTIMO, quando não cometer nova transgressão no período de 02 (dois) anos;

IV - Do ÓTIMO para o EXCEPCIONAL, quando não cometer nova transgressão no período de 02 (dois) anos.


Seção IV

Da Regressão do Comportamento

Art. 81. A regressão de classificação do comportamento será gradual e objetiva, obedecidas as seguintes situações:

I - Do EXCEPCIONAL para o ÓTIMO, quando cometer transgressão de qualquer natureza, exceto no caso de 01 (uma) transgressão de natureza leve;

II - Do ÓTIMO para o BOM, quando no período de 04 (quatro) anos, contados retroativamente da data da última punição aplicada, o militar tiver sido apenado com um conjunto de sanções equivalente a (02) duas ou mais transgressões de natureza média, devendo ser aplicada a regra de equivalência estabelecida no art. 82 deste Código.


Seção V

Tabela de Equivalência de Transgressões

Art. 82. Para efeito de regressão do comportamento, fica estabelecida a seguinte equivalência de transgressões:

I - 01 (uma) transgressão disciplinar de natureza grave equivale a 02 (duas) de natureza média;

II - 01 (uma) transgressão disciplinar de natureza média equivale a 02 (duas) de natureza leve, desde que, neste último caso, tenha sida aplicada, ao menos a sanção de repreensão.

Parágrafo único. A sanção de advertência não será considerada para fins de classificação de comportamento.


Seção VI

Do Registro do Comportamento

Art. 83. As organizações militares deverão manter atualizadas, nas fichas disciplinares, a classificação do comportamento de seu efetivo.

Art. 84. A qualquer tempo, atingidas as condições de melhoria de comportamento previstas neste código, poderá o militar requerer tal publicação no boletim interno de sua organização militar e seu registro em seus assentamentos.

Art. 85. Ante qualquer transgressão, no momento em que seja enviada a comunicação sobre o fato ao militar para abertura do procedimento apuratório, deverá o órgão responsável verificar a atualização de seu comportamento na ficha disciplinar

SOS BOMBEIROS: A nossa participação neste processo é fundamental, por isso cada um de nós temos que ler cada artigo com toda calma e atenção. Trazendo as contribuições pertinentes à construção de um novo diploma que norteará as relações dentro e fora da caserna. 


Utilizem os comentários para apresentarem suas sugestões. Caso não seja o adequado faça por e-mail: SOSBOMBEIROSRJ2@GMAIL.COM 

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Vereador Marcio Garcia presta solidariedade aos Guarda Vidas acidentados

Os Bombeiros que se queimaram na explosão do posto 4 , Cabo Mello e Sargento Corrêa, este último em estado ainda bem delicado, carecendo de nossas orações; receberam também a solidariedade e apoio do Vereador Bombeiro Marcio Garcia.




Acúmulo de gás pode ter causado explosão em posto de salvamento


Após explosão em posto de salvamento, Comissão de Defesa Civil da Câmara quer acionar concessionária
Parlamentar questiona manutenção dos postos. Bombeiro segue em estado grave

A Comissão de Defesa Civil da Câmara Municipal do Rio de Janeiro vai solicitar à Orla Rio, concessinária responsável pela administração dos 27 postos de salvamento nas praias cariocas, obras de reforma urgentes destes locais de atendimento aos banhistas. Neste domingo (26/7), uma explosão em um destes postos, em Copacabana, na Zona Sul, deixou dois guarda-vidas feridos, um deles teve 60% do corpo queimado e segue internado em estado grave no Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo.

Segundo o presidente da Comissão de Defesa Civil, o vereador Márcio Garcia (PR/RJ), a manutenção dos postos não está sendo feita de forma eficiente e pode oferecer perigo tanto para os banhistas quanto para os salva-vidas. "É preciso tomarmos providências urgentes, para que novos acidentes sejam evitados", disse Garcia. O parlamentar afirmou ainda que nos últimos meses vem enumerando "pequenos acidentes" que estão acontecendo nestes locais.

Inspeções feitas pela equipe do vereador no final de 2014 constatou diversos pontos vulneráveis em postos de atendimento ao banhista, na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade, e em praias da orla na Zona Sul. Entre as deficiências, faltava degraus nas escadas de acesso à parte interna de alguns postos, vasos sanitários descolados, portas blindex quebradas e muita infiltração. O Jornal do Brasil entrou em contato com a Orla Rio para saber mais detalhes sobre a manutenção dos postos, mas não houve retorno até o fechamento da matéria.

Fonte: http://m.jb.com.br/rio/noticias/2015/07/27/apos-explosao-em-posto-de-salvamento-comissao-de-defesa-civil-da-camara-quer-acionar-concessionaria/

Explosão do posto 4, em Copacabana, deixa dois bombeiros (guarda vidas) feridos

Nesse domingo, dois bombeiros (guarda vidas) que estavam de serviço no posto 4, na orla de Copacabana, ficaram feridos após uma explosão no posto de salvamento. Imediatamente após o acidente, a noticia já estava estampada nas páginas de alguns jornais on-line da nossa cidade.


http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2015-07-26/explosao-no-posto-4-em-copacabana-deixa-dois-salva-vidas-feridos.html

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/07/explosao-fere-dois-guarda-vidas-em-posto-na-praia-de-copacabana.html


Ainda não temos uma versão oficial a respeito das causas desse acidente. Enquanto o laudo pericial não é concluído, algumas possibilidades são levantadas como causa da explosão como: curto-circuito; excesso de solvente no posto; vazamento de uma botija de gás ou a mais provável, um mau funcionamento no suspiro da fossa (esgoto) dos postos que deveria conduzir o acúmulo de gás metano no subsolo até o alto da torre de salvamento.

Mesmo sem poder afirmar categoricamente a origem do incidente, um fato é fácil de constatar: A EMPRESA ORLA RIO NÃO ESTÁ CUMPRINDO O CONTRATO DE CONCESSÃO COM A PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO. No contrato existe uma cláusula que OBRIGA a CONCESSIONÁRIA a fazer manutenção em TODOS os postos de salvamentos.

Pasmem, mas o prazo já foi prorrogado por duas vezes e até a presente data NENHUMA MANUTENÇÃO foi realizada nas torres de salvamento. Ou seja, uma hora teríamos algum acidente GRAVE envolvendo nossos militares.

Esse descaso já foi denunciado em algumas oportunidades nesse canal de informações. Abaixo tem o link da postagem mais recente que enumeram as ações tomadas visando resolver o descaso e apontam as condições precárias dos postos de salvamento devido a falta de manutenção.


Assistam também um pronunciamento do vereador bombeiro Marcio Garcia no plenário da câmara municipal cobrando uma atitude, frente a inércia da empresa em fazer a manutenção dos postos prevista em contrato.




SOS BOMBEIROS: Pedimos a DEUS pela pronta recuperação de nossos heróis. As notícias dão conta que o cabo Mello teve apenas queimaduras nas pernas, sendo medicado e liberado após atendimento médico. 

O caso mais grave ocorreu com o sargento correia que teve aproximadamente 50% do corpo queimado e está internado em observação, seu caso inspira cuidados. Pedimos a oração de todos no intuito da recuperação imediata dos nossos guerreiros. 

sábado, 25 de julho de 2015

FESTA JUNINA

SERÁ REALIZADA HOJE NA ESCOLA DE BOMBEIROS CORONEL SARMENTO



Seguindo o exemplo de outras academias militares, nossos cadetes resolveram com a permissão do comando, organizar uma festa junina que será realizada hoje, no complexo de ensino de Guadalupe. 

O objetivo é arrecadar fundos para que os atletas da ABMDP II possam participar dos jogos militares no nordeste. 

Entendemos a importância do nome de nossa amada corporação representada nacionalmente e por isso resolvemos dar uma força.
O estacionamento será liberado para militares e civis e os ingressos podem ser comprados na hora ao custo de 
R$ 10,00. Crianças não pagam.   

S.O.S Bombeiros: se é para boa imagem de nossa corporação a gente "tá" junto! JSF!

quinta-feira, 23 de julho de 2015

ASSEGURE SEU VEICULO DE FORMA MAIS EM CONTA

Veja seis motivos que destacam a importância do seguro para o carro:

1. Todos os anos, aproximadamente, um de cada sete veículos envolve-se em algum acidente de trânsito, logo o risco de você se envolver num acidente não é pequeno.

2. Uma média de dois de cada cem veículos são roubados ou furtados todos os anos. Dependendo do modelo do automóvel e da região de circulação, esse número aumenta consideravelmente.

3. Hoje circulam nas ruas carros de valores muito elevados, muitos dos quais são mais caros que uma casa ou um apartamento. Já imaginou bater seu carro numa destas “fortunas” ambulantes e ter de arcar com os prejuízos?

4. Os seguros de carro oferecem uma série de serviços de assistência que, atualmente, são bastante utilizados por todos nós. Sem dúvida, é uma economia e tanto poder acionar esses serviços por meio do seguro sem precisar contratá-los de forma avulsa. Já imaginou precisar de um guincho longe de casa e ter de pagar do próprio bolso o valor cobrado?

5. Além dos serviços de assistência, os seguros de automóvel das principais companhias oferecem uma série de benefícios extras, como descontos em estacionamentos, serviços automotivos, cursos, help desk para seu computador etc.

6. Uma das formas mais eficientes de proteção do nosso patrimônio é a contratação de um seguro. Mesmo que ao longo dos anos você tenha tido a sorte de não precisar utilizar o seguro, a sensação de segurança proporcionada é muito grande.

Lembre-se que, antes de segurar seu veículo, deve avaliar com atenção a seguradora e escolher aquela que oferecer os serviços que atenderem melhor suas necessidades, por isso a Controlle-Bistrô Corretora de Seguros, faz questão de orientar sobre o custo beneficio do seguro.

Controlle – Bistrô Corretora de Seguros
Rua da Alfândega, nº 80 / 5º andar -  Centro - Rio de Janeiro
Tel. (21) 3553-8936 / 3553-8915 / 99420-3766

Email: controlle@controlleseguros.com.br

PARA NOSSOS ASSOCIADOS 15% DE DESCONTO EM TODAS AS PÓLICES E COBERTURA DAS OFERTAS DA CONCORRÊNCIA BASTA LEVAR SEU ENCAMINHAMENTO OU APRESENTAR SUA CARTEIRINHA

Associação S.O.S. Bombeiros
Rua General Sezefredo, 168 
- Realengo Rio de Janeiro-RJ
Telefone: (21)3281-0130
Aberto das 09:00 às 17:00.

NOSSA CONTINÊNCIA E PARABÉNS!!!



Hoje é o dia do aniversário do vereador BOMBEIRO MARCIO GARCIA. Pensamos apenas em fazer uma singela homenagem para retribuir o carinho e atenção dispensados aos bombeiros e policiais nesses mais de dois anos de mandato.

Trabalhando sempre com calma, equilíbrio e eficiência o senhor tem demonstrado para tropa o quanto é importante ter um REPRESENTANTE POLÍTICO que verdadeiramente lute pelos anseios da categoria.

Que DEUS possa abençoar abundantemente a sua família e guia-lo nessa árdua missão de representar os interesses de seus eleitores.


“O verdadeiro político não representa a sua vontade, e sim, a vontade daqueles que o elegeram...”



PARABÉNS E MUITAS FELICIDADES!!

NOTA DE CONVOCAÇÃO- GRATIFICAÇAO DE REGIME ESPECIAL DE TRABALHO

A ASSOCIAÇÃO S.O.S. BOMBEIROS CONVOCA TODOS OS MILITARES INTERESSADOS QUE AINDA NÃO COMPARECERAM PARA ACRESCENTAREM-SE NA LISTA.

 Essa é nossa ultima chamada para aumentar a lista de requerentes interessados no ressarcimento das ultimas parcelas não pagas da Gratificação de Regime Especial de Trabalho.

 Todos os Bombeiros Militares tem direito e almejamos dar entrada nesta ação na próxima quarta- feira dia 29/07/2015

Os militares que já são nossos associados não precisam tornar a sede da associação, seus dados serão importados de nossos arquivos e estarão automaticamente inclusos no processo. os demais interessados entrem em contato conosco o mais rápido possível. 

Será dada entrada na ação Vara de Fazenda pública, e o processo sera custeado pela associação não havendo ônus aos requerentes. 



Associação S.O.S. Bombeiros
Rua General Sezefredo, 168 
- Realengo Rio de Janeiro-RJ
Telefone: (21)3281-0130
Aberto das 09:00 às 17:00.