segunda-feira, 3 de agosto de 2015

ADEQUAÇÃO DO ATENDIMENTO NO SERVIÇO DE SAÚDE DO INTERIOR

No último dia 29, o coordenador do gabinete de gestão de projetos, tornou público a convocação para a reunião do grupo de trabalho que irá pensar na adequação do sistema de saúde do interior. 

Queremos que você tome conhecimento dos oficias que estão engajados neste trabalho, para através de nossos comentários apresentarmos as necessidades que o interior padece.

Com toda certeza a opinião de quem vive o atual modelo de atendimento, e sofre com ele, tem muito a acrescentar aos trabalhos que se iniciará no próximo dia 05 de agosto.



SOS BOMBEIROS: Você bombeiro militar do interior, exponha a realidade que você e sua família tem passado no interior para receber atendimento médico-hospitalar; apresente sua carências e necessidades. A final, só que mora no interior é que sabe o sufoco que passam

10 comentários:

  1. Região dos lagos: Não temos policlinica, o convênio o cbmerj sempre atrasa o pagamento. Cel westerman? Não vem coisa boa não

    ResponderExcluir
  2. Daciolo,Interior pede socorro,jogou o veneno e se mandou para Brasília?

    ResponderExcluir
  3. Daciolo,quando vai voltar aqui em Campos,pois sua vinda aqui para se alto promover,nos fodeu,a Tropa ficará feliz e entenderá que não tentou se alto promover,voltando e ir direto conversar com o Cel Douglas,do contrário,fique ai em Brasília,pois para nos foder,já basta os Cels Westerman e o Douglas.

    ResponderExcluir
  4. Tive que fazer uma colonoscopia em Araruama e paguei pelo exame R$ 1.250,00, pago consulta para mim, meus filhos e minha esposa, peço a DEUS para não ficar doente, pois não tenho condições de suportar tantos gastos, plano de saúde não funciona em Araruama. Para que tem um campo de futebol no quartel se não usam, é um espaço suficiente para fazer uma Policlínica, até os médicos que moram na região torcem que isso aconteça. Esqueçam o Daciolo, pois quer fazer Policlínica em Cabo Frio, lá tem mais recurso, até os convênios são lá e dá mais IBOPE. Araruama pode servir a muitos bombeiros de Maricá, Rio Bonito até Cabo Frio, pois está no meio do caminho desses locais. Policlínica em Araruama já!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo boa noite,policlinica nao adianta nao,nos temos que ter e um plano de saude decente,para nos e familiares,aqui em campos tem policlinica mas nao adianta nada,pois quando temos que fazer um exame de maior complexidade,ou vamos ao rio ou procurar o sus

      Excluir
  5. Não há logica pra mim um projeto de saude sendo comandado por um Cel de academia. Mas como dizem as boas linguas, é melhor fazer academia do que universidade, já que vc sai de lá sabendo mais de obras do que engenheiro, mais de legislação do que bacharel em direito, mais de saude do que medico...

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o anônimo de 12:59.

    ResponderExcluir
  7. Tudo dependo do ponto de vista, os tempos mudaram, a sociedade não tolera mais arcar com os custos desnecessários. Para entrar na ESFAO, só é exigido o ensino médio, sendo o Curso de Formação de Oficiais de nível superior, equivalente aos cursos civis de mesma natureza, conforme dispõe o parecer nº 722 do Conselho Federal de Educação, de 3 de Dezembro de 1992, os garotos entram com ensino médio e se formam em Oficiais Combatentes, mas não estão preparados para assumir um Comando, o que só vai acontecer no decorrer da carreira, com os demais cursos de aperfeiçoamento. Como a ESFAO não é uma universidade e sim Escola de Formação Militar, os jovens não são graduados em nada, saem Aspirantes e vão aprender no dia a dia com a Tropa, depois vão fazer a faculdade com seus próprios recursos. A solução correta seria exigir para entrar na ESFAO uma formação universitária que servisse para a Corporação, tipo: Engenharia, Área médica, Desportista, Direito, Educação, Administração, Contabilidade, e outras de interesse do CBMERJ. Com certeza o Estado economizaria e não precisava ficar três anos na Escola, porque sairiam Aspirantes Combatentes com formação universitária e já poderiam administrar qualquer setor, inclusive Comandar quartéis, nem precisaríamos de tantos Coronéis, teríamos Oficiais prontos para assumir as Engenharias, Diversões Públicas, Finanças, Hospitais, Escolas e etc..., por isso digo e repito : para entrar na ESFAO, tem que ser exigido nível universitário e ficar apenas um ano para aprender a ser militar, como é feito com os Oficiais da saúde. E o praça com nível universitário, bastava passar no concurso de Oficial, porque ele já é um militar formado. Quem lucra com isso é o Estado, que economiza recursos formando Oficiais que investiram na sua formação com recursos próprios.

    ResponderExcluir
  8. Eu to achando que não vai dar em nada... Crescer a estrutura de atendimento do CBMERJ!! Isso vai levar uma eternidade p q o atual governador não tem verba pra isso e já comprometeu a verba do FUNESBOM, é tudo balela pra ingles ver. Por que não se faz um convenio decente com uma operadora privada? Digo isso p q toda vez que fui atendido no hospital, primeiro trataram de ver qual era a minha graduação para depois se preocuparem com o que eu tinha. Quero dizer que infelizmente o atendimento de saúde está contaminado com as mazelas do militarismo, por isso doi preferencia a ir a um hospital particular ou uma UPA em último caso.

    ResponderExcluir
  9. Companheiro anônimo, concordo com sua linha de pensamento em parte. Apenas colocaria para que esse oficial tenha acesso a ESCOLA DE FORMAÇÃO SUPERIOR, ou seja, para se formar Ten Cel, apresentar esses diplomas de formação superior quais deveriam ser exigidos na corporação.

    ResponderExcluir

Comentários com palavras de baixo calão, agressivas ou que estimulem a violência ou prática criminosas não vão ser publicados.

Citações ou acusações pessoais somente são publicadas com a identificação do autor do comentário.

Se sentiu ofendido? Quer ter o direito de resposta? Faça contato pelo email (enderecumemaium@gmail.com) ou use os comentários para defender seu ponto de vista.

O BLOG é seu. Use-o com sabedoria.