sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

CORONÉIS QUE INTEGRAVAM CÚPULA DA PM DO RIO SÃO PRESOS POR DESVIAREM DINHEIRO DO FUNDO DE SAÚDE.





Agentes do Ministério Público e da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança (Ssinte) cumprem na manhã desta sexta-feira, mandados de prisão preventiva contra 25 acusados de integrarem uma quadrilha que desviou mais de R$ 14 milhões do fundo de Saúde da Polícia Militar do Rio. 

Entre os acusados estão três coronéis que faziam parte da cúpula da corporação até o final de 2014: o ex-chefe do Estado-Maior Administrativo, Ricardo Pacheco, o ex-diretor de Finanças, Kleber Martins, e o ex-gestor do Fundo de Saúde da PM, Décio Almeida. 

Os coronéis Ricardo Pacheco e Décio Almeida já estão presos e os agentes seguem para o interior do Rio para capturar o coronel Kleber Martins. Todos responderão pelos crimes de organização criminosa e dispensa de licitação, na Justiça comum, e, aqueles compõem os quadros da PM, de peculato e corrupção passiva, na Justiça Militar. A investigação do caso durou mais de um ano e foi feita, em conjunto, pela Ssinte e pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado, do MP.

Além deles, outros nove oficiais da corporação, onze empresários, uma ex-funcionária civil da PM e um funcionário da Secretaria estadual de Governo também tiveram mandados de prisão expedidos pela Justiça.

Segundo a denúncia do Gaeco, obtida pelo EXTRA, o grupo fez do "Quartel General da PM um verdadeiro 'balcão de negócios' e a sede administrativa da organização criminosa, um QG de 'tratativas criminosas', de arrecadação de propinas e desvio de valores de verbas do Fundo de Saúde da PM, assim como recebimento ou exigência de vantagens econômicas indevidas".

Coronel Ricardo Pacheco.

A quadrilha é acusada de realizar compras fraudulentas de materiais hospitalares em processos, na maioria das vezes, sem licitação. As empresas contratadas a partir do pagamento de propinas assinavam, em contrapartida, contratos milionários para o fornecimento de produtos que, por vezes, nunca chegavam aos hospitais da PM. Uma das compras investigadas foi a de 75 mil litros de ácido peracético, usado para esterilizar material cirúrgico, por mais de R$ 4 milhões em fevereiro de 2014. Por ano, a PM usa apenas 310 litros do produto, que jamais foi entregue. A Medical West, empresa que forneceu o ácido, foi paga integralmente.

Segundo a denúncia, também faziam parte do esquema de compras as empresas Gama Med 13 Com. e Serv. Ltda., Comercial Feruma Ltda., Bioalpha Serviços & Comércio de Materiais Médicos Hospitalares Ltda. e M&C Comércio e Soluções de Equipamentos.

Os investigadores concluíram que Pacheco atuava como "um verdadeiro 'capo' mafioso", fixando os valores a serem pagos como propina por empresários do ramo de materiais médicos. Segundo a denúncia, o oficial "estabeleceu um aumento de 2% a 8% para 10% do valor do contrato, que deveria ser solicitado ou exigido de todos os fornecedores que faziam parte do esquema criminoso, passando tal orientação para o núcleo operacional, cujos integrantes mantinham contatos estreitos e pessoais com as sociedades fornecedoras". Além disso, era do coronel a incumbência de dividir os valores entre os demais membros da quadrilha.

Promotor e Policiais da Secretaria de Segurança cumprem mandato de prisão na Barra da Tijuca, onde o lobista mora.     Foto: Fabiano Rocha


Policiais acusados:

1. Ricardo Coutinho Pacheco, coronel PM

2. Kleber dos Santos Martins, coronel PM

3. Décio Almeida da Silva, coronel PM

4. Helson Sebastião Barbosa dos Prazeres, major PM

5. Andreia Carneiro Ramos, major PM enfermeira

6. Delvo Nicodemos Noronha Junior, major PM

7. Sérgio Ferreira de Oliveira, major PM

8. Maycon Macedo de Carvalho, major PM

9. Artur Cruz Junior, major PM

10. Luciana Rosas Franklin, capitã PM

11. Dieckson de Oliveira Batista, tenente PM

12. Marcelo Olímpio de Almeida, subtenente PM

13. Ana Luiza Moreira Gaspar, ex-funcionária civil da PM


Empresários acusados:

14. Claudia Lucia de Souza, da Gama Med 13 Com. e Serv. Ltda.

15. Ilma Maria dos Santos, da Gama Med 13 Com. e Serv. Ltda.

16. Claudio Teixeira da Silva, da Gama Med 13 Com. e Serv. Ltda.

17. Artilano Francisco da Silva, da Comercial Feruma Ltda.

18. Joel de Lima Pinel, da Bioalpha Serviços & Comércio de Materiais Médicos Hospitalares Ltda.

19. Cainã Albuquerque Pinel, da Bioalpha Serviços & Comércio de Materiais Médicos Hospitalares Ltda.

20. Temístocles Tomé da Silva Neto, da Bioalpha Serviços & Comércio de Materiais Médicos Hospitalares Ltda.

21. Tiago Medeiros Cunha, da M&C Comércio e Soluções de Equipamentos

22. Luciene Moreira Andrade, da M&C Comércio e Soluções de Equipamentos

23. Rodrigo Gomes Theodoro dos Santos, da Medical West

24. Leonardo Pereira dos Santos, da Medical West

Lobista acusado:

25. Orson Welles da Cruz, servidor público ocupante de cargo comissionado na Secretaria estadual de Governo do Rio, membro suplente da Comissão de Ética do PMDB fluminense. 








12 comentários:

  1. Seria interessante não só sacudir a roseira no HPM mas nos outros hospitais também. Muita coisa interessante iria aparecer...

    ResponderExcluir
  2. Frase do general do EB João Camilo pires de campos:".... Chegaríamos ao ponto que estes, seriam declarados não apenas criminosos mas também inimigos da pátria. Teríamos muita gente fuzilada em praça pública.... " fica a dica...

    ResponderExcluir
  3. Fala Garotinho Deputado Federal.Que tal a Gaeco investigar o Fundo de Saúde do Cbmerj.Mais a Funesbom e a Engenharia(safety fire)Vão correr da sala para a cozinha.

    ResponderExcluir
  4. Vendo estas notícias nos jornais,o ex cmt toquinho da maldade que foi diretor do hcap,deve estar com caganeira.

    ResponderExcluir
  5. Aguardem,assim como vinham acontecendo a um ano as investigações na Pmerj,estão sendo feitas no Cbmerj,já já,teremos novidades.Gaeco,pra cima deles.parabéns.

    ResponderExcluir
  6. Esse assunto já não me interessa mais. já não desconto mesmo então, do meu ninguem leva... e graças a indenização eu não fiquei na lamuria com o parcelamento do salário e ausência do meu 13º.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Belo exemplo que você está dando Elton ! Porque não lutar por uma transparência no nosso FUNDO DE SAÚDE! Erros são para serem corrigidos ! Um erro não justifica o outro, fica a dica.

      Excluir
    2. VALDELEI TIRAR O FUNDO DE SAÚDE É LEGAL. NÃO TEM ERRO A RETIRADA A JUSTIÇA NOS GARANTI. NINGUÉM VAI ROUBAR MAIS O MEU DINHEIRO.

      Excluir
  7. Sábio cel pinheiro neto. Sabia dessa bomba no HPM, viu q a proa do navio encostou na água e pulou fora antes....

    ResponderExcluir
  8. Cambada de safados ,agora me faça uma pergunta e o dinheiro vai ser devolvido hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero que todos passem o Natal e o ano novo em BANGU O ! Se possível, deixem eles lá até depois do Carnaval, como fizeram conosco em 2012 que brigávamos por melhores salários e condições de trabalho.

      Excluir
  9. O QUE EU FAÇO? RETIRAR O FUNDO É DIREITO DO BOMBEIRO. DEIXA ALGUÉM PODE TE ROUBAR. ALGUÉM DO BLOG PODE ME AJUDAR???

    ResponderExcluir

Comentários com palavras de baixo calão, agressivas ou que estimulem a violência ou prática criminosas não vão ser publicados.

Citações ou acusações pessoais somente são publicadas com a identificação do autor do comentário.

Se sentiu ofendido? Quer ter o direito de resposta? Faça contato pelo email (enderecumemaium@gmail.com) ou use os comentários para defender seu ponto de vista.

O BLOG é seu. Use-o com sabedoria.